Pub

Após 29 dias de peregrinação pela Diocese do Algarve, uma representação da Igreja algarvia foi ontem a Mértola, na vizinha Diocese de Beja, entregar os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A comitiva era composta por elementos do Comité Diocesano Organizador da JMJ, do Setor da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve e por jovens das paróquias de Loulé e pelo padre Filipe Diniz, responsável nacional pela peregrinação dos símbolos e diretor do Departamento Nacional de Pastoral Juvenil.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Percorridos os quase 130 quilómetros e cerca de hora e meia de percurso desde o Santuário de Nossa Senhora da Piedade, popularmente evocada como Mãe Soberana, em Loulé – onde ainda de manhã se realizou a oração do terço na presença da cruz e do ícone mariano –, serra do caldeirão adentro até Mértola, a colorida carrinha com que transporta os símbolos chegou às 13h30 à vila alentejana à beira do Guadiana.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Os jovens da Diocese de Beja, reunidos em celebração da Jornada Diocesana da Juventude e sob a presidência do seu bispo, acorreram ao largo junto ao Pavilhão Multiusos para receberem os símbolos. Após uma breve intervenção de D. João Marcos, a cruz e o ícone de Nossa Senhora foram entregues aos jovens bejenses para prosseguir a peregrinação de dois anos pelas dioceses portuguesas.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A Cruz da JMJ foi entregue pelo Papa João Paulo II aos jovens em abril de 1984 e marcou o início de uma peregrinação da juventude de todo o mundo; em 2000, o mesmo pontífice confiou aos jovens uma cópia do ícone de Nossa Senhora ‘Maria Salus Populi Romani’.

Pub