Pub

“Queremos fazer chegar ao céu o nosso pedido”, confirmava o padre Pedro Manuel no início da vigília noturna a que presidiu, promovida na véspera do Dia Mundial de Oração pelas Vocações pelo Secretariado da Pastoral Vocacional da Diocese do Algarve de que é diretor. “Voltemos o nosso coração para Jesus que é luz na «noite» das nossas vidas e esperança em tantos momentos em que o desânimo parece ter uma palavra”, introduzia o sacerdote na iniciativa promovida na Semana de Oração pelas Vocações sob o tema “As vocações, dom do amor de Deus”.

Aos presentes explicou precisamente que “as vocações são um dom do amor de Deus”. “Ninguém é padre, religioso ou religiosa simplesmente porque quer. É, simplesmente, porque sente o seu coração inflamado por um amor que é mais forte que as razões do mundo, que a satisfação dos desejos de momento. Isso é, essencialmente, um desejo, um dom e um presente do amor de Deus”, sustentou.

O padre Pedro Manuel explicou que Deus continua a surpreender. “Quando, na nossa debilidade, fugimos do amor que Jesus nos tem, aí está Ele a caminhar ao nosso encontro, a surpreender-nos no caminho e a pedir que participemos na sua vida com a entrega da nossa”, afirmou, acrescentando que “o Senhor se coloca a caminhar no meio de nós porque valemos muito a seus olhos”.

O sacerdote afirmou que, “à vida de todos, o Senhor quer manifestar a sua presença amorosa”. “À vida de alguns, o Senhor quer fazer a pergunta: «Porque não tu? Eu preciso de ti para a minha Igreja, para que seja mais vida, mais viva e se torne mais presente diante da vida de tantos que continuam a buscar outras águas e outros senhores»”, insistiu sobre a interpelação vocacional de Jesus.

Neste sentido, prosseguiu, desafiando à resposta à proposta divina. “Se queremos, à imagem de Jesus Cristo, entregar também a nossa vida é chegado o momento de fazermos, com sinceridade, ao Senhor a mesma pergunta: Senhor que queres que eu faça?”, desafiou, acrescentando que “o Senhor quer que sejamos felizes porque vocação é sinónimo de felicidade, entrega de vida e concretização de um sonho que está para além do humano e que é de Deus”.

O padre Pedro Manuel sublinhou que “o Senhor conhece a nossa realidade” e “não nos julga, nem recrimina”. “É necessário que o aceitemos para que Ele tenha, na vida de cada um, o lugar que lhe é devido e para que possa, no coração de cada um, estabelecer-se e fazer o milagre de amor que continua sempre a fazer diante do altar e que em cada dia faz por todos aqueles que n’Ele acreditam”, afirmou.

O sacerdote exortou ainda a olhar os consagrados de um modo diferente. “Na grande maioria das vezes olhamos para aquilo que o sacerdote, o religioso ou a religiosa não têm ou não podem fazer e esquecemos que a opção é mais forte do que a regra, que o amor é mais forte do que uma qualquer disciplina e que a felicidade é ícone e imagem de uma vida completamente realizada”, afirmou.

Na vigília, que foi concelebrada pelos padres Mário de Sousa, pároco local, e José Manuel Pacheco, membro da comunidade dos sacerdotes redentoristas, responsáveis por paróquias do concelho de Lagos, o padre Pedro Manuel deixou ainda diretamente aos jovens presentes um último desafio: “Deixai-vos surpreender com o convite: «Tu, segue-me»!”.

Ao longo da Semana de Oração pelas Vocações, o Secretariado Diocesano da Pastoral Vocacional realizou mais duas vigílias de oração, uma em Faro e outra em Vilamoura.

Samuel Mendonça

Pub