Pub

© Luís Forra/Lusa
© Luís Forra/Lusa

A ponte rodoviária centenária que liga a cidade de Lagos à Meia Praia, encerrada há três anos por risco de colapso, vai reabrir ao trânsito no início de agosto, garantiu à Lusa o vice-presidente da Câmara de Lagos.

O fim das obras de reabilitação da ponte D. Maria, encerrada em fevereiro de 2012 por “risco de colapso iminente”, estava previsto para maio, mas “uma avaliação à colocação das micro-estacas motivou a alteração do modelo de construção, o que implicou a prorrogação do prazo em mais 60 dias”, disse o vice-presidente da Câmara Municipal de Lagos, Hugo Pereira.

Segundo o autarca, a obra está praticamente concluída, “faltando apenas a colocação do pavimento betuminoso, os acabamentos e o teste de carga”, que deverá será feito no princípio da semana.

“Existe a garantia do empreiteiro de que estão reunidas todas as condições para que a ponte possa reabrir ao trânsito no final do mês de julho ou início de agosto”, destacou.

Na opinião de Hugo Pereira, o encerramento da ponte “provocou prejuízos de pequena monta na economia local, mas grandes transtornos no acesso à Meia Praia, principalmente na época de verão, com claro prejuízo para quem frequenta a praia”.

“Os congestionamentos de trânsito foram os maiores problemas”, frisou.

A ponte centenária D. Maria, um dos principais acessos à Meia Praia, foi fechada ao trânsito automóvel e pedonal em fevereiro de 2012, por recomendação do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), por “risco de colapso iminente”, após uma inspeção à estrutura de suporte.

O concurso público da empreitada de reabilitação e reforço estrutural da ponte centenária, com um preço base de 950 mil euros acrescido de IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado) e um prazo de execução de 240 dias, foi publicado em Diário da República em maio de 2014.

A obra é comparticipada em 65% por fundos comunitários, através do Programa Operacional Algarve 21 (no eixo Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano), sendo o restante assegurado pela Câmara de Lagos.

As obras incluíram a construção de um novo tabuleiro com uma largura superior ao antigo, o reforço estrutural dos 12 pilares com micro-estacas e a reabilitação arquitetónica.

O novo tabuleiro tem uma largura de 11,75 metros, com uma faixa de rodagem com dois sentidos com 6,50 metros de largura útil, e corredores laterais em ambos os lados para circulação de peões e bicicletas.

Pub