Pub

Miguel Freitas defendeu que a requalificação da EN125 é uma “obra fundamental” que vai permitir “resolver o défice de acessibilidades na região” e a decisão do Tribunal de Contas é “muito importante para o Algarve” porque permite a intervenção para melhorar a estrada que atravessa a região e já foi uma das mais mortíferas da Europa.

“Este é apenas um primeiro passo para resolver o défice da região em matéria de mobilidade e transportes. É uma vitória da confiança e uma excelente notícia para o Algarve, sendo agora importante que a obra avance rapidamente para que, daqui a dois anos, a EN125 possa estar totalmente requalificada”, afirmou o deputado socialista.

Freitas ressalvou, no entanto, que além da requalificação da EN125, anunciada em 2008 pelo primeiro ministro, “é necessário assegurar também bons transportes públicos que constituam uma alternativa à utilização do automóvel”.

Defendemos na última legislatura o avanço de uma obra estruturante de requalificação de toda a EN125, de forma a melhorar as ligações entre concelhos e possibilitar uma boa opção para aqueles que fazem pequenas deslocações. Agora é fundamental concretizar imediatamente a criação de uma Entidade Regional de Transportes, que elabore e promova um Plano de Mobilidade para a região”, disse.

Miguel Freitas manifestou-se ainda confiante no normal andamento da requalificação, inicialmente anunciada para estar concluída num prazo de dois anos, que disse ser uma “obra estratégica para a dinamização da economia regional e para a criação de mais de 3000 postos de trabalho".

Lusa

Pub