Pub

Comboio_alta_velocidadeO secretário-geral do Eixo Atlântico manifestou-se ontem convicto de que em 2017 já será possível viajar em comboios rápidos entre a Corunha, norte da Galiza, e o Algarve, face ao investimento de modernização na Linha do Minho.

A posição, transmitida por Xoán Mao no final de uma reunião da comissão executiva do Eixo Atlântico, realizada ontem em Ourense, na Galiza, surge depois de “confirmados” por Portugal os 100 milhões de euros de investimento para modernizar e eletrificar, já a partir de 2014, a Linha do Minho.

“Os dados que temos do Governo espanhol apontam para que no início de 2015 o eixo atlântico [do comboio de alta velocidade da Galiza] esteja totalmente em funcionamento. Do lado português tudo indica que a obra na Linha do Minho esteja concluída até final de 2016 e que os concursos para as obras serão lançados no início do ano”, explicou o responsável, em declarações à Lusa.

Para Xoán Mao, a concretização deste investimento, que será suportado com a comparticipação de fundos comunitários “já garantidos”, representa o culminar das “pressões exercidas” pelo Eixo Atlântico desde 2010, reclamando na altura a modernização daquela linha como “alternativa” à decisão do Governo português de abandonar o comboio de alta velocidade entre Porto e Vigo e o próprio serviço regular que ligava as duas cidades.

“Valeu a pena a pressão que foi feita, numa altura em que o comboio até já tinha data para ser eliminado. Acreditamos na concretização destas obras porque já existem as verbas e o calendário está definido, mas vamos estar atentos, monitorizando a concretização dos compromissos, para que não aconteça o mesmo que aconteceu com outras obras”, apontou ainda.

Xoán Mao recorda que além da ligação de alta velocidade na Galiza, esta nova solução de mobilidade envolve a eletrificação e modernização da Linha do Minho, a concluir até Viana do Castelo no início de 2016 e para a fronteira de Valença um ano depois.

O Eixo Atlântico, entidade que defende os interesses das 34 maiores cidades do norte de Portugal e da Galiza, estima que após a conclusão da modernização do traçado português, a viagem entre Porto e Vigo seja feita em 90 minutos, metade do tempo que era necessário até junho passado.

A ligação entre o Porto e a cidade da Corunha, no extremo norte da Galiza, poderá assim ser assegurada em 160 minutos, através da rede de alta velocidade que existe naquela região espanhola, explicou.

Por isso mesmo, concluiu o secretário-geral do Eixo Atlântico, será possível assegurar a viagem em comboios de velocidade elevada – de alta velocidade ou alfa pendular -, entre os extremos norte e sul da península ibérica, da Galiza ao Algarve, no primeiro semestre de 2017.

Pub