Pub

© Luís Forra/Lusa
© Luís Forra/Lusa

A taxa de ocupação hoteleira no Algarve, em fevereiro, foi de 40,3%, mais 0,8 pontos percentuais em relação ao mesmo mês de 2013, mas o volume de negócios manteve-se inalterado face ao mesmo período do ano anterior.

A taxa de ocupação média por quarto em fevereiro no Algarve foi de 40,3%, 0,8 pontos percentuais (pp) acima do valor verificado no mesmo período de 2013, informou hoje Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), no seu boletim mensal.

O volume de negócios manteve-se, contudo, “inalterado face ao mesmo mês do ano anterior”, com a zona de Vilamoura, Quarteira e Quinta do Lago a registar em fevereiro “a principal descida” (menos 0,6 pp do que em fevereiro de 2013), indica a AHETA.

As zonas de Monte Gordo e Vila Real de Santo António, no sotavento algarvio, foram as que registaram a taxa de ocupação média mais elevada (75,7%), enquanto a mais baixa ocorreu nas zonas de Lagos e Sagres (18,2%), refere a nota de imprensa.

Os mercados britânico e holandês foram os que aumentaram mais as ocupações no Algarve, com subidas de 1,2 pp e 0,7 pp, respetivamente.

“A maior descida em fevereiro de 2014 ocorreu no mercado nacional, com menos 0,9 pp relativamente ao período homólogo de 2013.

Os hotéis e aparthotéis de três estrelas (+1,8pp) e os aldeamentos e apartamentos turísticos de cinco e quatro estrelas (+1,7pp) foram os que apresentaram as maiores subidas nas ocupações.

O fim de semana do Dia dos Namorados, data celebrada a 14 de fevereiro, pode ter contribuído para o ligeiro aumento na taxa de ocupação, pois os hotéis registaram, na altura, um aumento de reservas até 50% nesse período.

O presidente da AHETA, Elidérico Viegas, disse à Lusa, na altura, que as comemorações do São Valentim têm cada vez mais adesão, principalmente porque os preços são “mais atraentes nesse período de época baixa”.

Pub