Pub

Após um pedido de esclarecimentos que o MPT/Algarve fez junto do gabinete da CP – Comboios de Portugal -, aquele partido político anuncia hoje, em comunicado, que “nos próximos meses a Linha do Algarve irá receber 11 comboios em substituição das atuais automotoras”.

Desses 11 comboios, oito vão ficar em rotação e três servem para cumprir o plano de manutenção, mais a reserva de exploração.

Os preços praticados vão aumentar cinco por cento devido à eliminação do desconforto abaixo do padrão das atuais automotoras, nomeadamente a inexistência de ar condicionado”, lê-se na mesma nota de imprensa.

Não está prevista uma alteração de horários significativa, mas haverá “ajustes ao horário existente” em função dos novos comboios, indica o mesmo comunicado.

Os novos comboios, revistos para funcionarem na Linha do Algarve, estavam atualmente em serviço na Linha do Minho e são automotoras duplas diesel, modernizadas em 1999-2001 e climatizadas.

Os 11 comboios têm 164 lugares sentados, dos quais 40 lugares em primeira classe, e um consumo médio 1,3 litros por quilómetro (L/km), melhorando a eficiência energética, já que vão substituir as automotoras "UDD 600", dos anos 80, cujo consumo é na ordem de 1,65 L/km.

O MPT/Algarve felicita o melhoramento do material circulante na Linha do Algarve, mas alertar para a necessidade da “modernização da linha, nomeadamente através da substituição de passagens de nível por passagens desniveladas, eletrificação de toda a linha e ainda duplicação de troços principais que permita uma oferta de horários e percursos mais frequente”.

Lusa

Pub