Pub

Na sequência da demissão da Junta Regional do Algarve do CNE – Corpo Nacional de Escutas no passado mês de Outubro, vive-se um período de processo eleitoral, aberto no dia 31 do mesmo mês, que contou já com as fases de apresentação das candidaturas e de homologação das mesmas pelo Bispo do Algarve.

A eleição da Junta Regional do Algarve para o triénio de 2010-2013 surge na altura em que o CNE concluiu, a nível nacional, o processo de Renovação da Acção Pedagógica (RAP) que implicará, a partir de Setembro deste ano, no início do novo ano escutista de 2010-2011, a implementação de um novo Programa Educativo já aprovado. Ambos os candidatos a chefe regional do Algarve parecem estar conscientes disto.

No seu programa, a lista A refere mesmo acreditar “na importância da aplicação da Renovação da Acção Pedagógica como forma de fazer com que o CNE seja um movimento adaptado aos dias de hoje”. Também a lista B diz crer num “escutismo adequado aos tempos em que vivemos”, com “espírito enraizado” na mensagem do fundador do escutismo, Baden-Powell.

A lista A, constituída pela equipa ‘Karol Wojtyla’ encabeçada pelo chefe José João Cercas (à esqª na foto), candidato a chefe regional do Algarve, explica que o motivo da candidatura se deveu ao facto de entenderem que podiam ainda “dar mais um bocadinho ao movimento”. Já a lista B, constituída pela equipa ‘Nuno Álvares Pereira’, liderada pelo chefe Jorge Encarnação (à dirª na foto), assume que a razão foi a “diferença de opinião” em relação à “prática educativa” da Junta Regional demissionária. “Assumimos uma lista que se vai apresentar, pois não ficamos na sombra a contestar por contestar, mas construímos um projecto que vai ser sufragado”, refere aquele dirigente.

As razões das candidaturas são melhor desenvolvidas nos respectivos programas. O principal ponto de convergência das duas listas prende-se com a questão da união da região escutista. Ambas reconhecem que os escutas algarvios estão divididos e que é necessário unir o movimento. De tal forma, que o termo ‘União’ surge mesmo nos objectivos das duas listas. A primeira estabelece um projecto de 2010 a 2012 que contempla ‘União, Desafio e Vivência’ e a segunda determina um projecto de 2010 a 2013 que inclui ‘Missão, Atitude, União e Renovação’.

Ambas as listas reclamam terem equipas jovens com vontade de trabalhar para servir a região e as duas sublinham a importância da dimensão cristã na formação escutista.

A lista A salienta a “necessidade de motivar” os dirigentes como “primeiros responsáveis pela educação dos escutas” e sublinha a importância do “debate” e “partilha de ideias”. Afirmam querer “trabalhar em parceria com as outras instituições e associações do Algarve” e pautarem-se por uma “atitude de rigor e transparência na gestão administrativa e financeira”. Apontam ainda a aposta no “reforço da imagem do CNE na região do Algarve, mostrando a força da maior associação de juventude e como instituição de utilidade pública”.

A lista B refere “acreditar que o CNE algarvio se deve libertar de tudo aquilo que é supérfluo e que cria barreiras a um são desenvolvimento” e querer apostar numa “vivência de qualidade”, com “mais e melhor formação de adultos”, com “melhores condições para que as crianças e jovens possam realizar mais e melhores actividades e unidades” e “actividades mais atraentes”, e na “construção crítica de atitude coerente perante o CNE”.

A lista A quer implementar departamentos em detrimento das secretarias para as quatro secções, garantindo que aos respectivos responsáveis podem “movimentar as suas secções”, pois garante que “nenhuma região no país” trabalha por secretarias. Por outro lado, dizem ter escolhido só seis elementos “para ser mais fácil a tomada de decisões”.

Já a lista B refere querer um “escutismo que seja simples” e que “beba directamente da fonte”.

O Bispo do Algarve apelou já à participação corresponsável no crescimento do CNE neste período eleitoral. D. Manuel Quintas pediu que este tempo de confronto de ideias seja leal, digno e sem agressividade, para que se honre o movimento.

Conheça melhor a constituição e os programas das duas listas candidatas:

– Lista A
– Lista B

Pub