Pub

A nova loja Ikea de Loulé, cuja abertura ao público está a decorrer esta manhã, deverá receber dois milhões de visitantes no primeiro ano de atividade, estimou o diretor da unidade, Abdelhak Ayadi.

Num encontro ontem com jornalistas, aquele responsável revelou que não se trata de uma loja “standard”, mas sim “feita para as pessoas que vivem no Algarve”, onde a comunidade estrangeira residente é muito forte, razão pela qual foram feitas algumas adaptações.

“Para ser relevante para os estrangeiros, temos que estar em contacto com eles, por isso, temos a comunicação toda em português e em inglês, desde as direções às etiquetas com os preços”, referiu, sublinhando que o catálogo e o “site” também estão nas duas línguas.

De acordo com Marta Cunha, “designer” de interiores da Ikea, alguns produtos e soluções disponíveis na loja de Loulé foram selecionados tendo em conta as especificidades locais e as necessidades dos algarvios.

Um estudo sobre as características das habitações no Algarve demonstra, por exemplo, que 65% têm terraços ou varandas, o que faz com que nesta loja haja uma maior variedade de mobiliário exterior.

Segundo Marta Cunha, as casas são também maiores do que a média nacional e, por se tratar de uma região turística, o mercado de arrendamento é distinto do resto do país, o que se reflete na preferência dos algarvios pela compra de sofás-cama, ilustrou.

Com base na política ambiental do grupo, vão ser instalados na loja 1.600 painéis solares até ao verão de 2018, um investimento de um milhão de euros, que permitirá produzir o equivalente a 25% do consumo médio de energia elétrica daquela loja.

A abertura da loja Ikea será “mais sóbria” do que o normal, como sinal de respeito pela família da mulher que na passada semana morreu na sequência de um acidente no exterior do cais de descarga da loja.

“Decidimos cancelar e adiar algumas atividades e a abertura, amanhã [hoje], não será normal, será mais sóbria”, disse o diretor da unidade, frisando que não pode adiantar muito mais sobre o acidente, que ainda está sob investigação.

A loja Ikea de Loulé integra-se num projeto do grupo sueco que inclui um centro comercial, com abertura prevista para o verão de 2017, e um ‘outlet’, que deverá abrir no próximo outono, num investimento total de 200 milhões de euros.

A abertura da quinta loja Ikea em Portugal enquadra-se no plano de expansão do grupo, que prevê duplicar o número de lojas no país, para dez, até 2025.

Em declarações aos jornalistas, Fernando Caldas, diretor de Expansão da IKEA Portugal, adiantou que o objetivo é que as novas lojas do grupo se aproximem mais do centro das cidades.

“Na área metropolitana de Lisboa queremos abrir com a maior brevidade possível uma terceira loja e na área metropolitana do Porto uma segunda, para voltar depois novamente a Lisboa para uma quarta loja”, concluiu.

Pub