Pub

© Mira/CML
© Mira/CML

O município de Loulé vai ser o primeiro fora da área da Grande Lisboa a aderir ao movimento Zero Desperdício, que visa a doação de excedentes alimentares, através de um protocolo hoje firmado com a associação Dariacordar.

O movimento, lançado em abril de 2012, já permitiu, desde então, distribuir nos quatros municípios até agora abrangidos pela rede – Lisboa, Cascais, Sintra e Loures -, mais de 1,3 milhões de refeições, explicou à Lusa o presidente da associação e criador do movimento, António Costa Pereira.

A partir de hoje, aquela rede solidária passa também a integrar o concelho de Loulé, onde se concentra boa parte da restauração e da hotelaria de luxo da região e cuja extensa área agrícola é também uma “mais-valia”, já que, em conjunto com as cooperativas, se poderá começar a recuperar desperdícios agrícolas, acrescentou aquele responsável.

Durante a apresentação da iniciativa, o presidente da Câmara de Loulé considerou que o protocolo hoje firmado “tem um valor igual à inauguração de uma instituição de solidariedade social” e sublinhou tratar-se de um desafio “que coloca a fasquia” num nível elevado para o município.

“Temos uma rede de instituições que fazem da solidariedade social o seu objetivo diário, um município com uma vastíssima população, temos os recursos e, infelizmente, muita gente necessitada”, frisou Vítor Aleixo.

Para António Costa Pereira, não se trata de “caridadezinha”, mas sim de uma iniciativa que exige “bom senso” e que é para se fazer em condições de segurança, pelo que foi elaborado um manual, que já foi traduzido pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

O presidente da Dariacordar lançou ainda um desafio à Universidade do Algarve (UAlg) para a elaboração de um estudo que possa avaliar o impacto social e económico da implementação da rede em Loulé.

A associação já tem algumas parcerias estabelecidas, nomeadamente com cadeias de supermercados, que vão agora ser ativadas localmente em Loulé, explicou, acrescentando que é a autarquia que vai indicar as instituições que irão fazer a recolha dos alimentos juntos dos parceiros, para fazer depois a distribuição.

Segundo António Costa Pereira, nos próximos meses deverão ser assinados protocolos com mais duas autarquias, uma a Norte e outra no Centro.

A associação DariAcordar foi criada em janeiro de 2011 com o fim de promover a recuperação e doação de excedentes, sobretudo alimentares, e em abril de 2012 foi lançado o “Movimento Zero Desperdício”.

A iniciativa visa o aproveitamento dos excedentes alimentares, nomeadamente perecíveis e confecionados, que se encontrem em perfeitas condições para consumo, junto de entidades públicas ou privadas, para serem distribuídos pelas famílias mais carenciadas.

Com o protocolo hoje assinado, será criada uma rede Zero Desperdício no concelho de Loulé, que envolverá diversas entidades envolvidas na disponibilização diária de produtos alimentares, associações de comércio e restauração, entidades oficiais e estabelecimentos turísticos, entre outros.

Pub