Pub

O autarca sublinhou que o Plano de Pormenor da Praia de Faro prevê uma intervenção para requalificar a zona central desafetada do Domínio Público Marítimo em 1953 e que está sob tutela da autarquia.

De acordo com os planos de intervenção e requalificação do Polis Litoral Ria Formosa, cujo investimento ascende a 87 milhões de euros (e prevê a constituição de uma sociedade em que os municípios de Faro, Olhão, Loulé e Tavira participam com capital social), as casas existentes nos extremos nascente e poente deverão ser demolidas e os seus habitantes realojados, desde que se prove que ali estão realmente moradores e que têm atividade económica ligada à Ria Formosa.

Para terminar, o autarca fez alusão a outros projetos que têm “luz verde” do ministério para retomarem o andamento: o Plano de Pormenor da Ilha da Culatra e o da construção da nova ponte para a praia.

Rúben Oliveira com Lusa
Pub