Pub

"Vamos eventualmente distribuir ainda alguns computadores Magalhães neste ano letivo, mas certamente no princípio do próximo ano letivo todos os meninos do primeiro ano de escolaridade e todos os meninos do segundo ano de escolaridade vão ter o seu Magalhães", garantiu hoje Isabel Alçada.

À margem da visita que fez ao Refúgio Aboim Ascensão, instituição que desde 1985 ajuda crianças do zero aos cinco anos a regressarem à família biológica ou a conseguirem ser adotadas, a ministra admitiu que o processo de entrega dos computadores Magalhães se atrasou por causa dos concursos públicos exigirem "uma tramitação bastante morosa".

Isabel Alçada acrescentou que as medidas de austeridade que estão a ser aplicadas pelo Governo vão obrigar a uma gestão que corresponda "a necessidades, sem supérfluo, mas sempre na ideia de que educar é uma prioridade nacional", e garantiu que a implementação dos 12 anos de escolaridade obrigatória não vai ser afetada.

"Nós vamos continuar com a implementação dos 12 anos de escolaridade para todos com a diversificação do ensino secundário, com as vias profissionais, tudo isso exige investimento e o Governo já anunciou que isso é uma linha que vai manter", asseverou a ministra.

Isabel Alçada acrescentou que é objetivo integrar mais o trabalho para que as equipas de docentes trabalhem com equipas de discentes e que possam acompanhar os alunos desde o primeiro ciclo até ao secundário com um trabalho efetivo.

A ministra da Educação participou hoje num "Encontro de Bibliotecas Escolares" em Tavira, visitou o Refúgio Aboim Ascenção em Faro e à tarde assiste ao lançamento da primeira pedra da Escola Básica da Fonte Santa, em Quarteira, uma obra com oito salas de 1.º Ciclo e três salas para o pré-escolar, cujo investimento é de 4,5 milhões de euros da Câmara Municipal de Loulé.

Lusa

Pub