Pub

A primeira semana da maioria dos 39 jovens algarvios no Rio de Janeiro, no âmbito da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), foi vivida com encontros com conterrâneos, brasileiros e visitas a locais de culto, para além de atividades gerais da chamada Pré-jornada que incluiu a Semana Missionária, período nas dioceses de acolhimento, de 16 a 22 de julho, que antecede a JMJ propriamente dita.

A Semana Missionária preparou e antecipou a participação na JMJ 2013 com diversas atividades de contacto com a realidade de quem acolhe os jovens, inscritos naquele encontro mundial da juventude católica através do Departamento Nacional Pastoral Juvenil (DNPJ) por via dos Secretariados da Pastoral Juvenil de cada uma das dioceses portuguesas.

No dia 17 de julho, os jovens algarvios, inscritos através do Secretariado da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve, participaram numa celebração de acolhimento dos símbolos da JMJ, a cruz de madeira e o ícone da Virgem Maria, na paróquia de Nossa Senhora de Fátima.

A celebração, na réplica do santuário mariano de Fátima, foi presidida por D. Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro e responsável pelo Comité Organizador Local da JMJ, com todos os elementos do clero que participa no encontro.

O DNPJ revela que para os jovens portugueses o ambiente foi “muito familiar” e agradece o acolhimento, “partilhando a alegria de estarem nestas JMJ no outro lado do Atlântico”.

A tarde de dia 18 foi dedicada à cultura com a visita à exposição ‘A Herança do Sagrado: obras-primas do Vaticano e de museus italianos’, o principal projeto cultural da 28ª edição da JMJ no Museu Nacional de Belas Artes.

No dia 19, os portugueses subiram até ao Santuário do Cristo Redentor para agradecer o acolhimento que a cidade está a proporcionar a todos os participantes da JMJ e o apoio com que a comunidade lusa recebeu. Nesse momento celebraram uma eucaristia onde os jovens ofereceram uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, vinda “diretamente” da Cova da Iria, ao santuário do Rio de Janeiro. Segundo o padre Eduardo Novo, diretor do DNPJ, este momento “é um marco na história” pois “coloca a mensagem que Maria projeta para o mundo”.

Na manhã do último sábado, os jovens lusos foram à paróquia de Bonsucesso onde participaram na eucaristia na igreja de São Tomé e partilharam uma “experiência de fé”.

Depois do almoço, os participantes visitaram e perceberam a “realidade” da comunidade, em pequenos grupos, e “acompanhados por membros da comunidade”, partilharam as diferenças culturais. A comunidade do Bonsucesso faz fronteira com o Complexo do Alemão, “a primeira favela do Rio de Janeiro”, e alguns jovens puderam, também, visitar uma realidade que costumam ver pela televisão. “Uma realidade diferente que muitos esperavam, calma e serena”, assinalou o DNPJ.

No final do dia, o grupo foi até ao maior santuário mariano da cidade carioca, o Santuário da Nossa Senhora da Penha de França. Depois de 382 degraus foram recebidos pelo padre Serafim Fernandes, o reitor do Santuário da Penha, um português de Arcos de Valdevez.

O contingente algarvio de 39 jovens é composto por oito elementos da paróquia de Ferreiras, inscritos através do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ), que realizou a Pré-Jornada alojado no Barra Arouca Clube, na Barra da Tijuca, a cerca de 25 quilómetros do Rio de Janeiro, a dar apoio a comunidades portuguesas de duas paróquias, cujos párocos são portugueses e realizam trabalho pastoral nas favelas.

Para além destes estão ainda no Brasil mais 24 jovens algarvios, também inscritos através do SDPJ, que participam apenas nesta semana da JMJ, 17 dos quais oriundos das paróquias de Lagoa (1), Loulé (2), Monchique (1), Paderne (1), Quelfes (6) e Sé de Faro (6). Na semana da JMJ, que amanhã começa, todos os algarvios inscritos através do SDPJ, estão alojados no centro do Rio de Janeiro, num edifício de um antigo hospital gerido por portugueses, pertencente à Real e Benemérita Sociedade Portuguesa.

Do Algarve participam ainda seis jovens da paróquia de Vila do Bispo, acompanhados pelo seu pároco, o padre Joel Teixeira, o único sacerdote algarvio a participar na JMJ. Este grupo, que se inscreveu diretamente no encontro, realizou a Pré-Jornada na paróquia de Nossa Senhora da Guia, no município de Mangaratiba, a cerca de 100 quilómetros do Rio de Janeiro, e, na semana da JMJ, ficará alojado em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Os restantes 7 jovens algarvios, que também se inscreveram diretamente no encontro, são oriundos da matriz de Portimão e da Conceição de Faro e membros do Caminho Neocatecumenal.

Redação com Ecclesia

Pub