Pub

Dos 2054 elementos, estiveram presentes 1820 escutas dos 33 agrupamentos algarvios, mais o agrupamento em formação de Vila Real de Santo António.

O Dia de BP, que este ano teve como lema “Com Maria Reconquista o Desafio”, teve início com a Eucaristia, presidida pelo Bispo do Algarve, no Pavilhão Desportivo Municipal. Na celebração eucarística, participada por muitos sacerdotes assistentes do CNE, D. Manuel Quintas destacou aquele movimento como o que mais mobiliza as crianças e os jovens na Diocese do Algarve. O prelado evidenciou e agradeceu ainda a contribuição do CNE para a formação das futuras gerações.

Após a celebração falou Seruca Emídio, o presidente da Câmara de Loulé, que agradeceu a presença de todos e a escolha daquela cidade para as comemorações escutistas. Também o chefe regional, José João Cercas, repetiu o agradecimento pela “boa adesão”.

Seguiu-se o desfile até à Cerca do Convento onde se realizou, ao fim da tarde, a festa de encerramento protagonizada por um grupo de escuteiros algarvios formado recentemente.

Antes, logo após o almoço, houve atividades por secções. Os Lobitos (escuteiros entre os 6 e os 10 anos de idade, pertencentes à I secção), assistiram a um espetáculo do grupo de palhaços algarvios Pevide, Zacarolas e Salsinha e mais tarde concentraram-se no largo do Tribunal para diversas atividades. Ali aprenderam, por exemplo, a fazer pão ou sumo de laranja, atividades relacionadas com a lenda louletana da Moura Cassima que constituiu o imaginário do programa para aquela secção.

Os Exploradores (escutas entre os 11 e os 13 anos, pertencentes à II secção) realizaram um jogo de cidade que terminou no Centro Paroquial e Social com o visionamento de um filme sobre a padroeira de Loulé, Nossa Senhora da Piedade, a Mãe Soberana.

Os Pioneiros (escutas entre os 14 e os 17 anos, pertencentes à III secção) almoçaram num parque verde da Boa Entrada e seguiram em peregrinação para o Santuário da Mãe Soberana, onde assistiram ao mesmo filme que os Exploradores e realizaram um terço humano. Do santuário mariano regressaram com a realização de um raide.

Os Caminheiros (escutas entre os 18 e os 22 anos de idade, pertencentes à IV secção), concentraram-se para o almoço no Jardim dos Amuados e depois realizaram trabalho voluntário (pinturas, limpezas, arrumações, entre outras tarefas) em diversas instituições de solidariedade da cidade e casas particulares, sob a coordenação do assistente regional, o padre António de Freitas.

Samuel Mendonça

Pub