Pub

“São preocupantes os dados disponibilizados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (…) e que indicam que existiam 21 370 desempregados em agosto, o que corresponde ao pior registo oficial de sempre de desempregados no mês de agosto no Algarve”, lê-se num comunicado da União de Sindicatos do Algarve.

A União dos Sindicatos do Algarve classifica a situação económica e social algarvia como estando em “degradação acelerada” e avisa que vai pedir reuniões com várias entidades regionais, partidos políticos e com o bispo do Algarve, com o objetivo de procurar “caminhos que permitam obrigar o Governo a uma intervenção urgente”.

Em agosto de 2009 existiam 18 199 desempregados registados, mas chegou aos 30 mil no primeiro trimestre de 2010.

“É absolutamente plausível a previsão de que no próximo inverno se assista a um agravamento da crise e que o número de desempregados venha a ser ainda superior ao verificado no último inverno. O que poderá significar uma taxa de desemprego bem superior à então registada – a mais elevada do país nesse trimestre – e que foi de 13,6 por cento”, referem os sindicalistas.

Lusa

Pub