Pub

Motos de todas as cores e feitios e motociclistas com capacetes a fazer lembrar heróis do cinema percorreram hoje de manhã a cidade num desfile que durou cerca de uma hora e fez as delícias da assistência.

Enquanto os "motards" apitavam e agitavam bandeiras portuguesas, espanholas e de outros países, os residentes acenavam-lhes com euforia, como que a agradecer a sua presença numa cidade em que escasseiam os grandes eventos.

A organização conseguiu este ano bater o recorde de inscrições, ultrapassando as 30 mil pessoas previstas para o recinto montado em Vale das Almas, quando até agora o maior número de participantes se tinha registado em 2001, com 27 mil.

De acordo com o presidente do Moto Clube de Faro, José Amaro, talvez a fasquia alcançada quando o evento fez 20 anos tenha sido ultrapassada agora, dez anos depois, pelo facto de os "motards" gostarem de comemorar datas históricas.

A atuação da banda britânica de "heavy metal" Iron Maiden, logo no primeiro dia, pode também ter sido um dos segredos do sucesso para a edição deste ano, já que o concerto atraiu milhares de fãs.

O evento, que arrancou na quinta-feira, decorreu sem incidentes, disse à Lusa fonte do Comando de Faro da GNR, que elogiou o comportamento dos “motards” e a organização, a cargo do Moto Clube de Faro.

Até às 13:00 de hoje havia a lamentar a morte, na quinta-feira, de um motociclista, no IP2, em Portel, Alentejo, que se deslocava para a convenção em conjunto com outros “motards” abalroados por um automóvel.

O evento contou com 1400 voluntários e ainda com um hospital de campanha constituído por uma equipa de 40 médicos, 75 enfermeiros e 90 socorristas e motoristas.

Lusa
Pub