Pub
© Luís Forra/Lusa
© Luís Forra/Lusa

Uma descida em tirolesa entre Sanlúcar e Alcoutim permite aos visitantes atravessar o rio Guadiana e viajar de Espanha a Portugal numa “pequena máquina do tempo”, que chega ao destino em menos de um minuto, disse o promotor da atividade.

David Jarman está há cerca de nove meses a explorar esta atividade entre as localidades do Algarve e da região espanhola da Andaluzia e realçou à agência Lusa que este “slide” é o “único transfronteiriço do Mundo”, liga dois países em 50 segundos e, devido à diferença horária entre Portugal e Espanha [uma hora a mais em Espanha], “é uma pequena máquina do tempo em que se desce e se chega ao fim uma hora mais cedo do que se partiu”.

“Este é um local super curioso, com duas povoações divididas por um rio, dois países, e uma distância de um ponto ao outro por estrada de 90 quilómetros. Durante muito tempo falou-se da possibilidade de uma ponte, que nunca avançou, e eu pensei em fazer uma coisa muito simples, unindo as duas localidades, os dois países, sem afetar o meio ambiente, a paisagem, e atraindo turistas para a zona”, afirmou.

Inglês de nacionalidade, David Jarman fez um balanço positivo dos nove meses de funcionamento, após realizar um investimento de 250.000 euros para criar uma cabine 100 metros acima do nível do mar, na margem espanhola do Guadiana, de onde os participantes são largados para fazer uma descida por um cabo de aço, presos a um arnês, até chegarem à margem portuguesa, em Alcoutim.

David Jarman disse já ter recebido a visita de “muitos espanhóis, muitos portugueses, muitos ingleses”, mas frisou que “pelo menos metade da clientela vem do Algarve” e também já desceram pela tirolesa “russos, brasileiros, lituanos, japoneses ou norte-americanos”.

Quem chega a Alcoutim, apanha uma embarcação até Sanlúcar e, na localidade espanhola, equipa-se num quiosque de apoio para subir de jipe até à cabine de saída e iniciar a descida, mas pode também, segundo Jarman, aproveitar para “visitar os castelos, comer em Alcoutim ou em Espanha e ter um dia completamente distinto do que se encontra no litoral”.

O presidente do Turismo do Algarve, Desidério Silva, considerou que estas atividades são positivas porque “cada vez mais os turistas gostam de experiências novas” e “Alcoutim é aquele Algarve que é preciso promover, potenciar, por aquilo que representa em termos de vila do interior, em termos de natureza, de património, da sua relação com Espanha e da gastronomia, tudo fatores diferenciadores pela positiva e complementares ao sol e praia”.

O presidente da Câmara de Alcoutim, Osvaldo Gonçalves, fez a descida, disse à Lusa ter tido uma “experiência fantástica” e destacou a importância da atividade na dinamização da economia local e no reforço dos laços de cooperação transfronteiriça com a localidade vizinha.

“Temos alguns números que indicam isso mesmo, porque tivemos durante os meses de julho e agosto uma afluência bastante significativa, com médias de 100 pessoas ao dia, e naturalmente isso dinamiza o comércio local, como é nossa intenção, e premeia o esforço feito no apoio à divulgação daquela atividade e de outras que podemos partilhar neste rio, que entendemos ser um ponto de união e não de separação”, disse o autarca.

Pub