Pub

Sob o lema “A luta continua sempre”, a ação realiza-se exatamente um ano após a primeira marcha lenta contra a introdução de portagens naquela via, altura desde a qual já se realizaram mais cinco manifestações.

A organização do protesto, que se reuniu este fim-de-semana em Loulé, adianta num comunicado que a marcha lenta decorrerá entre as 14:00 e as 20:00, envolvendo troços quer da EN 125, quer da A22.

Os principais pontos de partida na zona do sotavento serão Altura (Castro Marim), junto à rotunda do Restaurante “O Infante”, na EN 125, às 14:00, e Tavira, na rotunda dos Moinhos(acesso à Via Infante), às 15:00.

No lado do barlavento o encontro ficou marcado para as 14:30 em Portimão, no Parque das Feiras, e em Valparaíso, Albufeira, às 15:00.

O objetivo é fazer confluir o trânsito para o Parque das Cidades (Estádio Algarve), de onde a comitiva deverá partir às 16:00 com destino a Faro.

A organização prevê que a concentração final do protesto decorra em frente ao centro comercial Fórum Algarve, à entrada da cidade, entre as 17:00 e as 18:00.

A organização acrescenta que irá ainda promover reuniões com associações e outras entidades, distribuir informação, colocar faixas em pontos estratégicos e divulgar a ação nas redes sociais.

Por outro lado, os promotores da ação dizem estar "em contacto permanente" com associações empresariais e principais partidos políticos da região espanhola da Andaluzia com vista à sua participação na marcha lenta.

O presidente da Junta da Andaluzia alertou recentemente para as “repercussões negativas” que a introdução de portagens pode ter nas relações transfronteiriças entre as duas regiões.

A posição do presidente do governo autónomo andaluz juntou-se à do alcaide de Ayamonte que também alertou para as consequências negativas da medida.

"As entidades promotoras da marcha saúdam vivamente os nossos vizinhos andaluzes e condenam profundamente os responsáveis políticos nacionais e regionais do PSD, CDS/PP e PS por continuamente traírem o Algarve e os seus eleitores, concluem.

O evento é organizado pela Comissão de Utentes da Via do Infante, o Grupo Algarve – Portagens na A22 Não, o Movimento Com Faro no Coração (CFC) e o Moto Clube de Faro.

Lusa
Pub