Pub

Os clínicos cubanos vão ficar, a partir de fevereiro, em permanência naquele concelho e durante os próximos três anos, ao abrigo de um protocolo celebrado entre a Câmara Municipal de Aljezur e a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, no âmbito do acordo entre Portugal e Cuba, para a colocação de médicos no Ribatejo, Alentejo e Algarve.

O protocolo, que coloca pela primeira vez médicos cubanos em Aljezur, estipula que as despesas de alojamento sejam suportadas em partes iguais pelas duas entidades, sendo o ordenado assegurado pelo Estado.

O presidente da autarquia, José Amarelinho, classifica de "extrema importância" o acordo entre o município e a ARS, "porque vai colmatar a falta de médicos que subsistia há mais de três anos".

José Amarelinho acrescenta que "fica igualmente afastado o receio de virem a encerrar alguns serviços de saúde por falta de profissionais" de saúde.

"Ficam garantidos o funcionamento e a assistência na saúde à população de todo o concelho, que inclui as freguesias do Rogil e de Odeceixe", destacou o autarca.

Os cuidados médicos na extensão de saúde de Odeceixe continuam a ser garantidos por uma médica, colocada há mais de 13 anos, enquanto na extensão do Rogil, serão assegurados por um dos três clínicos cubanos, três vezes por semana.

Lusa

Pub