Pub

As inaugurações, tanto em Estoi como em Santa Bárbara de Nexe, tiveram início com o descerramento das respetivas lápides e com as celebrações de bênção presididas pelo bispo do Algarve. D. Manuel Quintas lembrou que, “infelizmente, são inúmeras as carências da nossa sociedade”. “Apesar das respostas de diversas entidades, públicas e privadas, estamos ainda longe de atingir a assistência necessária em todos os domínios de carência humana”, lembrou o prelado.

Helena André salientou, em Santa Bárbara de Nexe, que estas obras visam o “investimento nas pessoas, na qualidade de vida dos idosos e no futuro, nas crianças”. A governante destacou, por isso, em Estoi, a “visão” do padre Júlio Tropa Mendes, o pároco de ambas as paróquias, por ter posto em prática o “desenvolvimento da solidariedade inter-geracional”, possibilitando às “crianças poderem conviver com os mais idosos e aos mais idosos poderem passar ensinamentos às crianças”. O sacerdote explicou antes que esse fora o “sonho” da doadora do terreno de Estoi com cerca de 7,5 hectares, lembrando que “gerações unidas fazem a realidade que é a sociedade”.

A ministra destacou ainda o modelo de parceria público-privada, entre Estado, autarquias e Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), como o “correto” para “dar frutos” e “contribuir para o aumento da coesão social” em Portugal.

Macário Correia, o presidente da Câmara de Faro, destacou o padre Júlio Tropa como “alguém que entende a Igreja no seu sentido amplo e correto de realizar obra pela sociedade”. “Quando a vida paroquial, para além do culto, cria raízes e estruturas para o futuro, há a realização plena do sentido da sua atividade na sua plenitude funções. E nós, instituições civis, temos a missão de acompanhar essa vontade, determinação e convicção”, afirmou, destacando o “interesse público consagrado aos mais idosos e aos mais jovens” nas obras inauguradas.

O autarca anunciou ainda a intenção da edilidade em saldar, com brevidade, os valores dos apoios àquelas duas obras, por via de um plano de reequilíbrio financeiro recentemente autorizado pelo Governo que permitirá o recurso à banca.

Financiado ao abrigo da segunda fase do PARES – Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais, tal como a creche de Santa Bárbara de Nexe, o Centro Comunitário de Estoi acolhe 66 crianças na valência de creche e 30 utentes na de lar e criou 24 postos de trabalho, tendo como custo global cerca de um milhão e meio de euros, dos quais 672 mil 600 euros correspondem ao apoio do PARES, 392 mil 365 euros ao financiamento da Câmara de Faro e os restantes 468 mil 119 euros ficaram a cargo da paróquia.

No caso da creche do Centro Cultural e Social de Santa Bárbara de Nexe, o montante global da obra, que criou 18 novos postos de trabalho, ascende a 1 milhão e 160 mil euros, sendo que a comparticipação do PARES é de 324 mil euros. O município de Faro comparticipou com 375 mil euros e os restantes cerca de 460 mil euros ficaram a cargo da paróquia.

Em ambas as instituições, o Estado irá comparticipar anualmente, por via dos respetivos acordos de cooperação, com mais de 400 mil euros.

Para além destas duas obras, a ministra inaugurou ainda no mesmo dia o Lar de Idosos de Almancil e a Creche “Jardim do Sol Cruz da Parteira”, em Portimão.

Samuel Mendonça

Pub