Pub

© Luís Forra/Lusa
© Luís Forra/Lusa

Os crimes violentos e graves, participados à PSP, no Algarve, durante o ano passado, diminuiram perto de 18%, o que representa cerca do dobro em relação à média nacional, disse ontem o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo.

“Na área da PSP, os dados do ano passado da criminalidade violenta e grave desceram quase o dobro [no Algarve] daquilo que se registou em termos nacionais”, afirmou Miguel Macedo, sublinhando que, a nível nacional, a participação deste tipo de crimes diminuiu cerca de nove por cento.

Falando aos jornalistas, em Faro, à margem da apresentação do dispositivo de segurança para o verão, no Algarve, o ministro da Administração Interna observou que esta é uma descida muito significativa, já que este é o tipo de crimes “que gera maior sentimento de insegurança”.

Segundo Miguel Macedo, também na área da GNR foi registada uma diminuição da participação da criminalidade violenta e grave, a par de uma descida da criminalidade participada, em termos gerais.

Presente na cerimónia, o presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve atribuiu os resultados positivos ao empenho dos elementos das forças de segurança presentes na região.

“Considero que as forças de segurança que estão envolvidas neste processo estão de parabéns, porque estão a fazer um bom trabalho e este clima de segurança que o Algarve tem, parece-me que é muito o esforço destes homens”, comentou Jorge Botelho.

O Algarve vai ter um aumento de forças, entre 15 de junho e 15 de setembro, com mais 206 efetivos da GNR, no âmbito do reforço de segurança na época alta turística, hoje apresentado em Faro.

Miguel Macedo considerou que o dispositivo “é suficiente”, mas prometeu que o Governo estará atento para que, caso necessário, seja feito um reforço.

Pub