Pub

O Dia da Mulher Cabo-Verdiana vai ser assinalado com a celebração de uma missa crioula no próximo domingo, 31 de março, pelas 10h30, na igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira.

A iniciativa é promovida pela Associação de Mulheres Cabo-Verdianas na Diáspora em Portugal, com o apoio da Câmara Municipal de Loulé, entre outras atividades que terão lugar naquela cidade, como o IV Encontro de Batucadeiras da Diáspora em Portugal.

Cartaz

Este encontro visa a promoção do batuque (batuku), género musical que é provavelmente o mais antigo de Cabo Verde, possibilitando o encontro de vários grupos de batucadeiras e a promoção do papel da mulher na cultura, na religião e na gastronomia.

As atividades terão início logo no sábado, 30 de março, com a homenagem a todas as cabo-verdianas numa cerimónia no Hotel Dom José, a partir das 18h, com muita música e também moda.

No domingo, depois da missa, está previsto um almoço tradicional com cachupa e outros pratos típicos de Cabo Verde. Ao longo da tarde decorrerão várias iniciativas integradas no IV Encontro de Batucadeiras da Diáspora em Portugal: atividade cultural, desfile de moda, atuação de grupos de batucadeiras, atuação da orquestra de batucadeiras, grupos de danças e atuação de artistas convidados.

Refira-se que o batuque (batuku ou batuk, em crioulo cabo-verdiano) é um género musical, um património cultural e, também um género de dança de Cabo Verde. A expressão musical-coreográfica ‘batuque’ é encontrada na ilha de Santiago, com características padrão, desde o século XVIII, sendo provavelmente o género mais antigo de Cabo Verde.

“O Município de Loulé associa-se, assim, a uma festa com raízes culturais africanas e que é promovida por uma comunidade migrantes que está fortemente integrada no concelho”, explica a autarquia.

Pub