Breves
Inicio | Igreja | Missionários redentoristas celebraram 50 anos de presença no Algarve

Missionários redentoristas celebraram 50 anos de presença no Algarve

DSC_1744
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A comunidade algarvia da congregação do Santíssimo Redentor, cujos membros são conhecidos como missionários redentoristas, assinalou no domingo passado os 50 anos de presença em Lagos.

Na eucaristia, presidida pelo bispo do Algarve – que teve lugar na igreja de Santa Maria de Lagos com a presença de vários dos 19 sacerdotes redentoristas que fizeram parte do último meio século de história daquela comunidade –, D. Manuel Quintas manifestou o reconhecimento pelo seu trabalho naquela zona da diocese algarvia. “Estamos gratos ao Senhor por esta congregação que, ao longo de 50 anos, ajudou esta porção da Diocese do Algarve a ser mais Igreja”, declarou.

“Unimo-nos hoje à grande família redentorista para louvar o Senhor pelo dom de cada um deles nestes 50 anos de história, de vida, de dom, de graça, de missionação”, prosseguiu, acrescentando: “obrigado pela vossa presença sorriso, carisma e espiritualidade, pelo modo como enriqueceis a nossa diocese e quereis continuar a enriquecê-la”.

DSC_1672
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“Convosco queremos olhar para estes 50 anos com a gratidão do passado, mas ao mesmo tempo viver o presente com paixão entusiasmo e olhar para o futuro com ousadia e audácia, imbuídos do espírito do vosso fundador”, indicou na eucaristia que teve início com o descerramento de uma placa comemorativa.

“Queremos continuar a ver em vós, os missionários que sois e que continuamos a precisar para sermos juntos uma Igreja missionária em saída sempre necessitada de conversão pastoral. Queremos que continueis a ajudar-nos a ser uma Igreja que cultiva a espiritualidade da escuta e do anúncio, uma Igreja samaritana, misericordiosa e solidária, uma Igreja missionária que procura novos caminhos duma pastoral urbana, uma Igreja com rosto jovem”, sustentou, lembrando que a congregação está em Portugal há quase 200 anos e que “a sua vida, como de todos os consagrados, caracteriza-se em primeiro lugar pelo seguimento de Cristo” e ainda pelo “anúncio explícito do evangelho como Boa Nova de redenção”.

O vigário provincial dos missionários redentoristas, antigo superior provincial, agradeceu pela festa. “Queremos agradecer por esta homenagem e ao mesmo tempo louvar o Senhor convosco por esta celebração dos 50 anos da presença dos missionários redentoristas aqui em Lagos e arredores. Claro que a homenagem não é só para os padres redentoristas. Eu quero, primeiro, estendê-la também a vós”, afirmou o padre António Marinho, lembrando que “a missão continua”. “Olhemos agora para o futuro que continua a ser vosso e nosso, todos em comunhão para servirmos a missão e a Igreja. Contamos convosco e podem contar connosco”, concluiu.

Também o padre Eugeniusz Fasuga, coordenador da comunidade de Lagos, incluiu os paroquianos na homenagem. “Quem está no centro desta festa não somos nós, missionários redentoristas. Quem está no centro desta celebração é o povo que Deus ama”, afirmou, lembrando que os missionários também fazem parte do povo.

Vigilia_redentorista_lagos
Foto © João Centeno
Caminhada_redentorista-3
Foto © João Centeno
Caminhada_redentorista-28
Foto © João Centeno
Concerto_50_anos_missionarios_redentoristas_lagos-5
Foto © João Centeno
Concerto_50_anos_missionarios_redentoristas_lagos-6
Foto © João Centeno

O sacerdote explicou ainda que a festa do 50º aniversário teve início na sexta-feira com uma “vigília de oração com os santos redentoristas”naquela igreja e prosseguiu no sábado com a “Caminhada do Redentor”, com crianças da catequese e respetivas famílias pelas ruas do centro da cidade, participada por mais de 250 pessoas, e concluída com um momento de convívio. No sábado à noite realizou-se ainda na igreja um concerto com o violinista João Pedro Cunha e com o Grupo Coral de Lagos.

DSC_1699
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No final da eucaristia, foi entregue uma placa comemorativa a cada um dos representantes das sete comunidades redentoristas em Portugal: Castelo Branco, Damaia, Gaia, Guimarães, Lagos, Lisboa e Porto.

A comunidade algarvia da congregação do Santíssimo Redentor foi fundada em Lagos em 1969 e atualmente é responsável pelo trabalho pastoral nas paróquias de Barão de São João, Barão de São Miguel, Bensafrim, Luz de Lagos, Odiáxere, Santa Maria, São Sebastião no concelho de Lagos e de Budens no concelho de Vila do Bispo.

A comunidade redentorista no Algarve é atualmente composta pelos padres Abílio Almeida, António Ferreira, Silvério Rato e Eugeniusz Fasuga. O padre António Ferreira fez parte, com mais dois sacerdotes, do grupo fundador de missionários redentoristas que veio para o Algarve em 1969. Esteve três anos em Lagos e só regressou em 2012. O padre Abílio Almeida veio para Lagos em 1986 e o padre Silvério Rato em 2015. Este ano veio o padre Eugeniusz Fasuga substituir o padre algarvio José Manuel Pacheco que também fazia parte da comunidade e estava no Algarve há 16 anos.

Verifique também

Consagrados a trabalhar no Algarve viveram dia de recoleção na preparação para o Natal

O Secretariado Regional do Algarve da CIRP – Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal promoveu …

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.