Inicio | Cultura | Morreu Joaquim Romero Magalhães

Morreu Joaquim Romero Magalhães

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O antigo comissário-geral da Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses (1999-2002) e ex-secretário de Estado da Orientação Pedagógica Joaquim Romero Magalhães morreu na passada segunda-feira, em Coimbra, aos 76 anos de idade.

O também presidente do Conselho Diretivo da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC), durante oito anos, nas décadas de 80 e 90 do século passado, e secretário de Estado da Orientação Pedagógica em governos liderados por Mário Soares (1976-1978) morreu na cidade onde residia, disse à agência Lusa a diretora da FEUC, Teresa Pedroso de Lima.

Natural de Loulé, onde nasceu em 1942, Joaquim Romero Magalhães foi distinguido, em 12 de dezembro deste ano, pela Universidade do Algarve (UAlg), que lhe atribuiu o título de ‘doutor honoris causa’.

Romero Magalhães, que viveu em Loulé e Faro até aos 17 anos, licenciou-se em história pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, em 1967, foi docente do ensino liceal e professor catedrático da FEUC, onde se doutorou.

Foi também professor convidado da École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris, da Universidade de São Paulo e da Yale University, e sócio correspondente estrangeiro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, de acordo com a sua biografia, na página da Universidade de Coimbra na internet.

Enquanto estudante em Coimbra, Romero Magalhães foi presidente da Associação Académica de Coimbra e do Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra, em 1964 e 1963, respetivamente.

Deputado à Assembleia Constituinte da República Portuguesa, eleito pelo PS, em 1975 e 1976, Joaquim Romero Magalhães foi autor de uma vasta obra, tendo coordenado o volume “Alvorecer da modernidade”, da História de Portugal dirigida por José Mattoso, e publicado obras como “Vem aí a República! 1906-1910” ou “O Algarve económico durante o século XVI”, que lançou já em dezembro deste ano.

A Câmara de Faro e a UAlg manifestaram o seu pesar pela morte do professor doutor Joaquim Romero Magalhães, tendo sido decretados três dias de luto académico.

A autarquia e a universidade apresentaram as condolências à família de Joaquim Romero de Magalhães, que era curador dos anais de Faro desde 2009.

Em comunicado, a autarquia de Faro lembrou a “vasta obra de investigação histórica” de Joaquim Romero Magalhães, que qualificou como “um dos nomes mais prestigiados em atividade” na sua área académica, sendo “o curador dos Anais do Município de Faro desde 2009”.

“O Algarve e o país perderam um vulto das ciências históricas e da cultura”, lamentou a Câmara algarvia no comunicado em que manifestou o seu pesar pela morte de Romero Magalhães, que morreu durante a madrugada, na sua casa, em Coimbra.

O reitor da UAlg, Paulo Águas, lamentou a perda de Romero Magalhães “em nome de toda a comunidade académica” e manifestou “à família e aos amigos as mais sinceras e sentidas condolências”.

“A instituição solidariza-se com este momento de tristeza, decretando três dias de luto académico”, anunciou a universidade num comunicado.

As cerimónias fúnebres decorreram hoje de manhã, na Capela da Universidade de Coimbra.

Verifique também

“Eu não tenho nada (…) eu não devo nada”

Encarar uma situação má na nossa vida com sentido de humor, normalmente só acontece passado …