Pub

Em declarações à Lusa, José Amaro salientou que a crise e a falta de dinheiro obrigam as pessoas a fazerem escolhas de modo a poupar, mas ressalvou esperar que “a paixão pelas motos prevaleça sobre a razão […] e que se passem três dias de convívio motociclista a exemplo dos anos anteriores”.

O programa da concentração difere apenas ligeiramente das outras edições, tendo a feira mudado de local para a entrada do evento, de modo a dar acesso à zona comercial a quem não está inscrito. Além disso, há um espetáculo musical de cabaré na sexta-feira à noite no recinto, localizado no Vale das Almas, que se repete no dia seguinte na baixa de Faro.

Com 60 anos de vida e 32 de concentrações anuais em Faro, José Amaro espera que os próximos dias apresentem uma “grande concentração” com muitos portugueses entre os participantes, ainda que a nacionalidade que mais se faz representar entre os inscritos seja, por norma, a espanhola.

A organização conta com cerca de mil voluntários e está há cerca de um mês a preparar o evento, que no ano passado terminou com um "grande prejuízo", segundo o presidente do Moto Clube de Faro.

"Muitas pessoas pensam que isto dá milhares e milhares de euros de lucro, mas a última concentração foi uma grande concentração em termos de motos, mas tivemos muito prejuízo", confessou José Amaro.

O programa de animação, que dura quatro dias, será garantido pelos Xutos & Pontapés, Os Corvos, as bandas espanholas Lujuria e Saratoga, a banda britânica Saxon e ainda pelo espetáculo "Le Cabaret Rock", da companhia portuguesa Custom Circus.

As inscrições custam 45 euros, com direito a acampamento e senhas de refeição, havendo ainda disponíveis gratuitamente camaratas na sede do Moto Clube, inaugurada há dois anos em Faro, mas cuja lotação é apenas de 16 pessoas.

Os participantes têm ainda à sua disposição dois autocarros gratuitos, disponibilizados pelo Moto Clube e pela câmara municipal, entre o recinto, junto à Praia de Faro, e a cidade, a partir das 11:00 de quinta-feira e até às 08:00 de domingo.

A primeira edição do evento foi em 1982, data em que o Moto Clube de Faro foi constituído legalmente, e teve uma afluência de cerca de 200 motociclistas, lê-se no ‘site’ da organização.

A fama que foi ganhando ano após ano garantiu-lhe a mudança de nome para Concentração Internacional de Motos, em 1991, sendo na altura o único evento nacional deste tipo, incluído no calendário internacional de concentrações da Federação Internacional de Motociclismo.

Lusa

Pub