Pub

“A introdução de portagens na Via do Infante sendo um ‘imposto’ que os andaluzes têm de pagar que provoca uma debandada quase total, foi uma asneira monumental que, agora, o Ministério da Economia ‘com as calças na mão’ quer compensar”, afirma em comunicado o movimento liderado por José Vitorino, ex-presidente da Câmara de Faro.

Para o movimento Com Faro no Coração (CFC), a iniciativa divulgada pelo Turismo de Portugal de oferecer uma noite grátis num hotel algarvio mediante compras de valor superior a 30 euros num dos El Corte Inglés da Andaluzia, resulta do facto de o Governo “estar confrontado com os piores resultados na hotelaria do Algarve nos últimos 16 anos, a que se tem de acrescentar a queda a pique na restauração e comercio”.

Segundo o comunicado, os espanhóis constituem uma parcela significativa dos 50% de carros a menos que circulam a menos na Via do Infante, pelo que para “evitar descalabros ainda maiores” o CFC apela à suspensão imediata das portagens na A22.

O movimento critica também as recentes declarações do ministro da Economia no Algarve, segundo as quais “as obras públicas têm que ser pagas”, sendo que para o movimento o ministro “falou como se o dinheiro para a sua construção fosse dos impostos dos portugueses, quando a maior parte foi dinheiro da União Europeia por causa do nosso periferismo”. Concluindo que foi por esse motivo que, na altura, o atual presidente da República disse que não haveria portagens.

Liliana Lourencinho com Lusa

Pub