Pub

Recentemente nomeado cónego e pároco da paróquia de São Pedro de Faro pelo bispo do Algarve, a autarquia considerou que o pároco deixa “marcas de saudade na comunidade albufeirense”

“Estamos aqui reunidos para prestar homenagem a uma pessoa que tem desenvolvido um vasto trabalho no concelho, principalmente em três grandes áreas: educacional, pastoral e social”. Foi com estas palavras que o presidente do Município, José Carlos Rolo, deu início á cerimónia de homenagem ao cónego César Chantre

O autarca elogiou o percurso do sacerdote, que ocupou cargos regionais e nacionais, salientando a obra desenvolvida no concelho, nomeadamente no Centro Paroquial de Paderne, que acolhe crianças e idosos; na construção da igreja de São José, em Ferreiras; e na gestão, desde 2008, do Centro Social da Quinta da Palmeira, onde também colocou em funcionamento as respostas sociais de creche e lar de terceira idade. “é com imensa satisfação que prestamos esta singela e justa homenagem, desejando que a nova missão seja profícua”, enalteceu José Carlos Rolo

Perante uma plateia lotada e composta por membros do executivo, Assembleia Municipal, Juntas de Freguesia e representantes de entidades militares, civis e religiosas, o padre César Chantre recordou o dia em que chegou a Albufeira e foi recebido pelo seu colega e amigo, cónego José Rosa Simão, fazendo uma retrospetiva do caminho percorrido até aos dias de hoje: “A obra que aqui foi feita só foi possível graças á força anímica das pessoas que me rodearam e apoiaram. Todos estes projetos já haviam sido sonhados por outros e foram colocados em andamento por um conjunto de pessoas, com destaque para a intervenção da Câmara Municipal de Albufeira. Eu apenas fui o rosto do trabalho de muita gente”, afirmou

Visivelmente emocionado, o cónego César Chantre confessou sentir-se triste por deixar Albufeira e a sua comunidade, mas prometeu nunca abandonar a família que aqui construiu: “um padre é para ser um missionário e eu parto numa nova missão, mas não esqueço esta família e esta casa que me acolheram durante todos estes anos”, rematou.

Para assinalar o momento, o presidente da autarquia ofereceu ao homenageado uma escultura da Torre do Relógio, o ex-libris da cidade

Na mesa de honra esteve também o presidente da ERTA – Entidade Regional de Turismo do Algarve, Desidério Silva, em virtude da relação de amizade que estabeleceu com o sacerdote ao longo do seu percurso profissional, primeiro como vereador e depois como presidente do Município de Albufeira. “Para além da relação institucional que desenvolvi com o padre César enquanto autarca, estabelecemos também um laço de amizade enquanto cidadãos e eu, particularmente, enquanto pai”, salientou o ex-presidente da autarquia, evidenciando a importância do contributo do homenageado na gestão dos vários equipamentos religiosos e sociais do concelho, já que “os edifícios nada são sem as pessoas e o padre César encheu-os de humanidade e de bem fazer”

A encerrar as intervenções, Carlos Silva e Sousa, presidente da Assembleia Municipal de Albufeira referiu que “é importante que as pessoas homenageiem quem trabalha para a comunidade e a enriquece, pelo que é com grande satisfação que assisto a este reconhecimento público pela sua entrega total em prol dos outros”

O cónego César Chantre veio inicialmente para Albufeira colaborar com o pároco local, assumindo posteriormente as paróquias de Paderne (1990), Boliqueime (1992) e Ferreiras (2000). A sua tomada de posse como pároco da paróquia de São Pedro de Faro ocorre no próximo dia 28 deste mês, no decurso da missa das 18h na igreja matriz da capital algarvia. Recorde-se que o sacerdote é ainda diretor-geral do Colégio de Nossa Senhora do Alto, naquela cidade

Pub