Pub

O TEMPO – Teatro Municipal de Portimão, cujos primeiros passos do projecto foram dados pelo edil, foi na última terça-feira à noite o cenário da cerimónia, que lotou o Grande Auditório, com o nome do homenageado, num acto público que teve a presença de familiares de Nuno Mergulhão e culminou com um concerto a cargo da Banda da Armada.

O primeiro orador foi o almirante da Armada Carlos Rodolfo, que enalteceu as aptidões militares e as qualidades humanas de Nuno Mergulhão, destacando a sua “paixão pelo mar e pela vela, adquirida nos tempos de juventude em Portimão e que serviram de estímulo para uma brilhante carreira na Marinha Portuguesa, ao serviço do país.”

O professor universitário Adriano Pimpão considerou Mergulhão como um autarca e político “com rara visão estratégica, que implantou uma gestão moderna no município, fruto da sua grande capacidade de decisão, cumprindo todos os compromissos que assumia.” Deu como exemplo a criação do pólo de Portimão da Universidade do Algarve, na altura em que Pimpão exercia as funções de reitor, e considerou o homenageado “um edil sempre ao serviço da comunidade.”

Convidada por Mergulhão para trabalhar consigo enquanto vereadora, a governadora civil de Faro, Isilda Gomes, disse que o autarca “sabia aglutinar as pessoas à sua volta, para que formassem equipas coesas, em prol do município.”

Para João Nuno Mergulhão, o pai foi o “melhor amigo e um porto de abrigo seguro durante a juventude”. “De carácter forte e inigualável rigor, possuía uma vontade intrínseca de ajudar o seu semelhante”, afirmou, referindo que a “maior herança recebida é o exemplo de vida” do progenitor.

Realçou ainda a estratégia adoptada para a diversificação da oferta turística de Portimão e a “nova dinâmica da cidade, na senda de um desenvolvimento sustentável.”

O presidente da Câmara Municipal de Portimão, Manuel da Luz, que também integrou como vereador os executivos liderados por Nuno Mergulhão, explicou que preferiu agendar esta homenagem para o dia de aniversário, e não para a data em que passaram 10 anos sobre o dramático falecimento do ex-autarca (29 de Dezembro), “justamente para celebrar a vida de quem deu boa parte de si ao município, por dedicação plena à causa pública.”

Em particular, salientou o seu exemplo enquanto “autarca próximo das pessoas, que procurava incessantemente plataformas de consenso com os representantes de todas as sensibilidades políticas.”

Lembrou ainda que foi durante os seus mandatos que surgiu a ideia de que “é bom viver em Portimão, um sonho que a cada dia que passa ganha maior consistência.”

“A melhor forma de homenagearmos Nuno Mergulhão é cada um de nós dar o seu contributo para que a comunidade local tenha uma melhor qualidade de vida e se sinta mais feliz”, expressou Manuel da Luz no final da cerimónia.

Oficial superior da Marinha Portuguesa e licenciado em Engenharia Electrotécnica, Nuno Mergulhão exerceu a presidência da Câmara Municipal de Portimão entre 1993 e 1999.

Pub