Inicio | Ambiente | Municípios alentejanos e algarvios vão candidatar Costa Sudoeste a Património Natural da Humanidade

Municípios alentejanos e algarvios vão candidatar Costa Sudoeste a Património Natural da Humanidade

SagresQuatro municípios do Alentejo e do Algarve vão candidatar a Costa Sudoeste a Património Natural da Humanidade devido aos seus “inigualáveis valores naturais, geológicos e patrimoniais de reconhecido interesse à escala mundial”, foi hoje anunciado.

A candidatura vai ser apresentada à Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) pelos municípios da área do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, ou seja, Sines e Odemira, no Alentejo, e Aljezur e Vila do Bispo, no Algarve.

Num comunicado enviado à agência Lusa, a Câmara de Odemira, que lidera o processo, explica que a candidatura visa o reconhecimento, pela UNESCO, da Costa Sudoeste como Património Natural da Humanidade e fundamenta-se nos “inigualáveis valores naturais, geológicos e patrimoniais de reconhecido interesse à escala mundial” daquela zona “única pela biodiversidade, nível de preservação e riqueza paisagística”.

O reconhecimento daqueles valores pela UNESCO “contribuirá decisivamente para que se concretizem os objetivos que presidiram à constituição da área protegida do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, mitigando, com isso, riscos de perda de valores naturais e patrimoniais centrais para a região, para o país e para a humanidade”, considera o município de Odemira.

A Costa Sudoeste compreende a costa atlântica entre São Torpes, no concelho de Sines, e Burgau, no concelho de Vila do Bispo, e inclui o litoral dos concelhos de Odemira e Aljezur e o espaço marítimo paralelo de dois quilómetros a partir da linha de costa, correspondendo à área do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Em 2004, a Comissão Nacional da UNESCO propôs a Costa Alentejana para integrar a “Tentative List” da UNESCO para ser reconhecida como Património Natural da Humanidade, explica o município de Odemira.

A proposta foi aceite e, desde então, a Costa Sudoeste consta na “Tentative List” da UNESCO, refere a autarquia, explicando que a Comissão Nacional da UNESCO iniciou recentemente o processo de revisão dos bens inscritos na “Tentative List”.

O município de Odemira explica que assumiu a liderança do processo porque é necessário haver uma ou mais entidades que se constituam como promotoras do trabalho de reformulação da proposta inicial e desenvolvimento do posterior processo que conduza ao reconhecimento da Costa Sudoeste como Património Natural da Humanidade e é “o território central deste bem natural”.

Verifique também

Faro vai acolher cientistas que vão preparar relatório mundial sobre alterações climáticas

Especialistas mundiais em alterações climáticas vão reunir-se no início de 2020, em Faro, para prepararem …