Pub

Acordo_safe_communities_algarveA prevenção da criminalidade e o fomento da proteção civil são objetivos de um protocolo que a Comunidade Intermunicipal do Algarve (CIM-AMAL) assinou ontem com uma associação que trabalha com as comunidades estrangeiras, anunciou a associação dos municípios.

O protocolo foi assinado com a Safe Communities Algarve, associação sem fins lucrativos que presta apoio à comunidade estrangeira da região e colabora regularmente com a Guarda Nacional Republica, a Polícia Judiciária ou o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, precisou a AMAL num comunicado.

“É fundamental que o Algarve mantenha os padrões de segurança e se continue a assumir enquanto num destino seguro junto de quem nos visita ou de quem escolheu a região para viver”, considerou o presidente da AMAL, Jorge Botelho, citado no texto.

Acordo_safe_communities_algarve2Jorge Botelho, que também é presidente da Câmara de Tavira, referiu que é também importante “conciliar as sinergias” entre as diversas entidades para que estas comunidades possam manter “a qualidade de vida” que o Algarve oferece e que “o distingue como destino turístico de eleição”.

O protocolo traduz-se numa “estratégia de sensibilização” destinada às comunidades estrangeiras, que representam 12% da população residente do Algarve, para “a manter devidamente informada sobre questões de segurança, prevenção de crime ou incêndios florestais”, concretizou a AMAL.

A Comunidade Intermunicipal do Algarve considerou que “é imprescindível a valorização de medidas de autoproteção para prevenir riscos pessoais e coletivos e promover comunidades mais seguras”.

Acordo_safe_communities_algarve3

Pub