Pub

"É um projeto pioneiro a nível nacional, destinado a esclarecer e a dar apoio a todos aqueles que possuem peças que necessitem de conservação e até de restauro", disse à agência Lusa José Gameiro, diretor do museu.

O Consultório do Museu funcionará com os técnicos da oficina de conservação e restauro do Museu de Portimão, nos primeiros sábados de cada mês, entre as 15:00 e as 17:00, com um limite máximo de dez participantes e com a obrigatoriedade de efetuarem previamente a inscrição.

"O apoio é prestado por profissionais com conhecimentos nas áreas da conservação e restauro desde a madeira ao papel, passando pelo vidro, cerâmica, pintura, documentação e fotografia", destacou o diretor do museu.

Segundo José Gameiro, o projeto pioneiro a nível nacional, "está já a suscitar interesse dentro da comunidade dos museus, a fim de que possa ser estendido" a outras regiões do país.

"Já fomos contactados por outros museus que manifestaram interesse em implementar o projeto, novo em Portugal mas que existe há vários anos noutros países", sublinhou.

Segundo José Gameiro, a iniciativa "teve um grande impacto na população, tendo sido esgotado em poucos dias o limite de participantes para a primeira sessão", que se realiza no sábado.

Aquele responsável admitiu alargar o período de funcionamento do consultório, "caso se verifique um aumento da procura dos serviços".

A consultoria e aconselhamento de conservação e restauro é mais um serviço disponibilizado pelo Museu de Portimão, que tem em funcionamento um gabinete de apoio a questões relacionadas com os licenciamentos de obras em que são necessárias intervenções arqueológicas.

Além da elaboração do caderno de encargos, os serviços do museu acompanham os processos de intervenção, realizados em áreas de sensibilidade arqueológica.
Lusa

Pub