Pub

Luís Costa, que preside à direção da associação composta por empresários dos concelhos de Mértola, Alcoutim, Castro Marim e Vila Real de Santo António e cujos corpos sociais tomaram posse no passado dia 22, disse que se "estão a perder verbas comunitárias para projetos transfronteiriços" e é "necessário programar todas as atividades em comum" para "evitar que se perca dinheiro disponível para esse efeito até 2015".

"Por isso, já iniciámos o contacto com a Junta da Andaluzia para trabalharmos nesse sentido", afirmou o dirigente da Uádi Ana à Lusa.

Um dos projetos que poderão ser feitos em conjunto é a criação de um "ferryboat" que ligue as margens do Guadiana entre Alcoutim e a localidade espanhola de Sanlúcar para transportar carros de uma margem para a outra e trazer mais pessoas ao interior.

Luís Costa lembrou que a crise está a levar "cada vez mais pessoas a deixar o interior e a emigrar" e um dos objetivos da Associação é tentar evitar que isso aconteça, criando condições que permitam o desenvolvimento económico através do turismo para permitir a fixação de pessoas numa das zonas mais desertificadas do país.

Outro dos trabalhos que a direção da associação pretende realizar nos próximos tempos é de angariação de mais sócios, que atualmente se situam em cerca de 30, revelou o presidente.

A aposta no rio Guadiana como fator de desenvolvimento da região também será uma das metas da Uádia Ana, disse o presidente, frisando que tem havido mecanismos de ordenamento do território "que têm impedido projetos promotores de desenvolvimento na zona e foram bloqueados por decisões de burocratas".

Lusa
Pub