Pub

“A Sociedade Polis Litoral Ria Formosa está a diligenciar no sentido de ser efetuada a monitorização regular e frequente da barra, de modo a equacionar dragagens periódicas de manutenção, que possibilitem a utilização permanente, quer da barra, quer dos canais navegáveis”, disse à agência Lusa uma fonte do conselho de administração daquela sociedade.

A 26 de novembro de 2010, a nova barra da fuseta foi aberta oficialmente pela Sociedade Polis da Ria Formosa e veio permitir a passagem dos pescadores da Fuseta da Ria Formosa para o mar, mas a comunidade piscatória da Fuseta criticou, de imediato, a obra por se ter criado uma nova barra marítima sem um paredão fixo.

Os pescadores avisaram, inclusivamente, que se a nova barra não fosse dragada constantemente, o mau tempo acabaria por eliminar a obra, um facto que veio a acontecer alguns dias mais tarde, com a própria presidente da Sociedade Polis, Valentina Calixto, a admitir, em dezembro, que a barra nova da Fuseta só estava operacional "em maré média a alta".

Localizada a cerca de 800 metros a nascente do porto de Fuseta-Terra, a nova barra faz parte de uma empreitada no valor total de 980 mil euros e inclui-se nas obras do programa "Polis Litoral Ria Formosa", um plano estratégico de requalificação e valorização da Ria Formosa, cujo investimento total é superior a 87 milhões de euros.

Lusa

Pub