Pub

Recorde-se que, conforme esperado, a única lista concorrente às eleições para a Junta Regional algarvia do CNE foi eleita, no passado dia 10 de março, para o triénio de 2013 a 2016.

No final da celebração eucarística do último sábado, concelebrada também pelo padre António de Freitas, assistente regional do CNE, o chefe Alexandre Carrilho, vogal da Comissão Eleitoral, leu a ata da eleição, seguindo-se de imediato a cerimónia da tomada de posse da nova Junta Regional.

Para além do vigário geral da Diocese do Algarve e do presidente da Mesa do Conselho Regional, Luís Alberto Lidington da Silva, testemunharam ainda o ato o presidente da Mesa do Conselho Nacional, chefe António Correia, e a presidente do Conselho Fiscal e Jurisdicional Regional do Algarve, chefe Fernanda Oliveira.

Após o termo da celebração, decorreu no salão paroquial de Silves a tomada de posse de todos os departamentos que irão colaborar com a Junta Regional e, no final da cerimónia, foi oferecido um «porto de honra» a todos os presentes.

Responsável e formador do CNE, o chefe José João Cercas, que já fez parte de várias Juntas Regionais do Algarve daquele movimento fundado por Baden Powell, mantém-se como chefe regional.

Para além do chefe regional, a nova Junta Regional do Algarve do CNE é constituída ainda por Maria José Leote, chefe regional adjunta, por Rosalinda Lourenço, Francisco Brás, Lúcia Ramalho e Manuel Bastos, todos secretários regionais.

No Algarve, o CNE conta atualmente com quase 2200 efetivos repartidos pelos dois ramos – terreste (o mais numeroso) e marítimo. Ambos os ramos organizam-se em quatro secções, o primeiro composto por Lobitos (6 aos 10 anos), Exploradores (10 aos 14 anos), Pioneiros (14 aos 18 anos) e Caminheiros (18 aos 22 anos) e o segundo por Lobitos (6 aos 10 anos), Moços (10 aos 14 anos), Marinheiros (14 aos 18 anos) e Companheiros (18 aos 22 anos).

Pub