Pub

O edifício, situado na saída de Faro em direção a Olhão, teve um investimento de cerca de um milhão de euros, sendo que a sua conclusão só foi possível graças a um empréstimo bancário, “mas as contas estão controladas e não houve derrapagens”, garantiu o presidente do Moto Clube, José Amaro.

À exceção do terreno, cedido pela Câmara de Faro há cerca de 8 anos, a nova sede foi sendo construída sem qualquer apoio monetários de entidades públicas, apenas com a colaboração dos vários sócios e amigos do Moto Clube.

“Alguns percebem mais de eletricidade e vêm cá fazer uma perninha, outros ajudam nas pinturas, e houve até quem tivesse oferecido pratos, copos e talheres. Assim, as pessoas revêem-se neste espaço e sentem que contribuíram com algo para erguer a sede”, explicou José Amaro.

Exemplo disso é o caso de um motociclista finlandês que há cerca de uma semana veio passar férias ao Algarve e deixou um frigorífico para a nova sede. O mesmo motociclista já tinha deixado, no ano passado, uma máquina de lavar a roupa em sinal de agradecimento pela hospitalidade a custo zero.

“O nosso desejo é que esta sede seja uma referência não só para a cidade mas para todos os motociclistas portugueses e até do mundo. As portas vão estar abertas a todos, pois é essa a nossa filosofia”, sublinhou o presidente do Moto Clube de Faro.

No novo edifício predominam materiais como madeira e ferro, sendo que este edifício terá ainda garagens exteriores para alugar, uma cave, dois pisos e uma açoteia com vista para a Ria Formosa, e que será transformada numa esplanada nas noites de verão. A cave dispõe de uma zona de armazenamento, garagem, gabinete para consultas médicas e um ginásio, ainda em construção, que será explorado por particulares mediante pagamento de uma renda.

A sala polivalente, no primeiro andar, está preparada para receber concertos e dispõe de um bar, zona de estar, cozinha e uma loja de lembranças. No segundo piso fica a zona de acolhimento para viajantes, com um quarto duplo e camaratas para 18 pessoas, uma cozinha particular, duches e até uma biblioteca com livros sobre a cultura motociclista e roteiros de viagens.

“O acesso a esta zona é independente do resto do edifício de modo a garantir alguma privacidade”, explicou José Amaro, acrescentando que a estadia “é completamente gratuita.”

A inauguração informal da nova sede do Moto Clube de Faro acontece no dia 3 de junho. No dia10 começam as limpezas do recinto da concentração, no Vale das Almas, junto ao aeroporto de Faro.

Nesta 31ª edição da concentração, José Amaro espera uma quebra no número de inscrições, uma vez que, segundo o presidente do Moto Clube, os picos das concentrações ocorrem de cinco em cinco anos. A crise económica, o preço dos combustíveis e a introdução de portagens na Via do Infante também poderão refletir-se na vinda dos motociclistas, a maioria deles espanhóis.

A 1ª Concentração de Motos de Faro aconteceu em 1982 e participaram, nesse ano, cerca de 200 motociclistas. Hoje em dia, só a equipa da concentração conta com mais de mil pessoas, a maioria voluntários.

Liliana Lourencinho com Lusa

Pub