Pub

O presidente do Automóvel Clube de Portugal, Carlos Barbosa, considera este aumento inexplicável e um engano da parte do Governo, uma vez que “o barril de Brent está a 124,98 dólares” e em 2008 “estava a 160 dólares e nós tínhamos combustível mais barato.” Carlos Barbosa adiantou também que reforçou hoje o pedido de reunião com o ministro da Economia para discutir o aumento do preço dos combustíveis e a proposta da criação de postos de gasolina ‘low cost’.


O presidente da Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis (ANAREC), Virgílio Constantino, também se pronunciou acerca do aumento dos combustíveis defendendo que o Governo deveria flexibilizar o Imposto Sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) de forma a equilibrar os preços dos combustíveis que estão a ameaçar a continuidade do setor com os aumentos sucessivos.

O presidente da ANAREC afirmou ainda que existe uma forte quebra no consumo de combustíveis, e que esta quebra afeta “de uma forma muito violenta a atividade e a rentabilidade dos postos e a sua sobrevivência.”

Liliana Lourencinho com Lusa
Pub