Pub

No próximo dia 25 deste mês tomará posse na catedral de Huelva (Espanha) o novo bispo daquela diocese vizinha do Algarve, D. Santiago Gómez Sierra, de 63 anos, nomeado pelo Papa Francisco no passado dia 15 de junho.

O bispo eleito sucederá a D. José Vilaplana Blasco, agora administrador apostólico, que foi bispo daquela diocese durante 14 anos e que em dezembro de 2019 atingiu a idade determinada pelo Direito Canónico (75 anos) para a resignação ao cargo.

D. José Vilaplana Blasco despede-se amanhã, 17 de julho, da Diocese de Huelva, dia em que se cumprem exatamente 14 anos da sua eleição como bispo da diocese onubense, pelo Papa Bento XVI. O dia será marcado pela eucaristia no Santuário de Nossa Senhora da Cinta (Nuestra Señora de la Cinta), padroeira daquela cidade de Huelva, uma celebração simbólica por ter sido ali o primeiro lugar que visitou na sua chegada à diocese espanhola, a 22 de setembro de 2006, na véspera da sua tomada de posse.

D. Santiago Gómez Sierra, que era bispo auxiliar da Arquidiocese de Sevilha, nasceu em Madridejos (Toledo) a 24 de novembro de 1957. Foi ordenado sacerdote na Dioceses de Córdoba a 18 de setembro de 1982. É licenciado em Filosofia e Ciências da Educação pela Universidade Complutense de Madrid e em Teologia (com especialização em Dogmática e Fundamental), pela Universidade Pontifícia Comillas de Madrid.

Foi nomeado bispo auxiliar de Sevilha pelo Papa Bento XVI a 18 de dezembro de 2010 e recebeu a ordenação episcopal a 26 de fevereiro de 2011. Na Conferência Episcopal Espanhola foi membro das Comissões Episcopais do Ensino e Catequese e de Pastoral e atualmente pertence à Comissão Episcopal para a Evangelização, Catequese e Catecumenado.

Na Diocese de Córdoba foi, por dois períodos, vigário-geral, além de membro do Cabido da Catedral. Depois de ordenado sacerdote foi pároco de duas paróquias da Diocese de Córdoba, para além de capelão e confessor em várias comunidades religiosas. Foi também formador e vice-reitor do Seminário Maior de Córdoba, além de professor do mesmo e do Instituto Superior de Ciências Religiosas Beata Victoria Díez.

Na mensagem que dirigiu à Diocese de Huelva após a sua nomeação, D. Santiago Gómez Sierra manifestou a sua “estima e disponibilidade”. “Espero que me recebam como membro da família de Deus. Tenho a certeza de que farão espaço para mim no vosso coração. Juntos continuaremos a responder com fidelidade ao envio missionário do Senhor Jesus «Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda a criação» (Mc 16, 15) e continuaremos no caminho da conversão pastoral e missionária, como nos pede o Papa Francisco”, escreveu.

“Não trago um programa especial. Mas tenho bem presentes na minha mente as palavras de São João Pablo II no início do novo milénio: «O programa já existe. É o de sempre (…) Centra-se em Cristo, Aquele que importa conhecer, amar e imitar, para viver na vida trinitária e transformar com Ele a história até à vinda da Jerusalém celeste» (NMI, 29). Juntos continuaremos no caminho mais conveniente para anunciar com obras e palavras a nossa fé em Jesus Cristo”.

A ligação entre as dioceses vizinhas do Algarve e de Huelva tem-se estreitado por via de iniciativas conjuntas relacionadas com o movimento das Equipas de Nossa Senhora e com a ‘Luz da Paz de Belém’.

Pub