Pub

A nova área de Decisão Clínica tem 560 metros quadrados e foi criada de raiz para acomodar os doentes que, depois da triagem e de serem observados, aguardam na urgência o resultado de exames, a observação de especialistas ou a transferência para um serviço de internamento.

"O Hospital de Faro deixou de ter macas acumuladas nos corredores do Serviço de Urgência Geral", lê-se no comunicado do hospital.

O estabelecimento hospitalar frisa que a ampliação das urgências vai ditar "o final da imagem negativa que durante anos tem estigmatizado" a instituição de saúde.

As obras de ampliação do serviço, um compromisso assumido há um ano pelo presidente do Conselho de Administração do hospital, Pedro Nunes, decorreram no prazo de 45 dias e corresponderam a um investimento total de 600 mil euros, sem derrapagem financeira, sublinhou o hospital.

O novo espaço, com 26 camas e nove postos de tratamento em cadeirões que se poderão alargar a 12, funciona em espaço aberto, o que, de acordo com o hospital, facilita a monitorização clínica.

A área dispõe ainda de duas casas de banho para utentes – uma com banho assistido -, um vestiário para profissionais, uma sala de equipamentos e uma sala de apoio aos serviços de limpeza.

O balcão de enfermagem e do balcão de observação médica, que vai dispor de cinco postos de observação individualizados e mais amplos, referiu o comunicado.

Outra das alterações é a deslocação da Sala de Observações, que será integrada na área de Decisão Clínica, libertando espaço para a instalação de uma Sala de Trauma, pela qual passarão todos os doentes politraumatizados e que funcionará em articulação com a Sala de Reanimação.

A entrada em funcionamento da nova área obrigou ainda a uma redistribuição dos recursos humanos afetos ao serviço, sublinhou.

Lusa

Pub