Pub

Com a ereção canónica da paróquia de Altura, a Diocese do Algarve passou a ser constituída por 77 paróquias, três vicariatos e uma capelania. O bispo do Algarve, inclusivamente, já participou a ereção paroquial à Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna – para efeitos de reconhecimento de personalidade jurídica civil, em conformidade com o estabelecido na Concordata celebrada entre a Santa Sé e a República Portuguesa.

A nova comunidade paroquial algarvia, que foi desmembrada da paróquia de Castro Marim, tem como orago o Imaculado Coração de Maria, cuja solenidade a Igreja celebrou precisamente no passado sábado.

A leitura do decreto de constituição da paróquia, durante a eucaristia de sábado, explicou que a decisão da diocese algarvia de erigir a paróquia do Imaculado Coração de Maria de Altura teve em conta o “crescimento, a maturidade da fé e vida da comunidade cristã de Altura”, bem como o “crescimento humano” presente e futuro previsto para aquela zona e o pedido da comunidade cristã para que fosse ereta em paróquia, pedido que foi acolhido pelo Conselho Pastoral da paróquia de Castro Marim e também pelo Conselho Prebiteral da diocese algarvia.

A Igreja algarvia considerou ainda o “empenho ativo” em “congregar esforços e meios para se dotar das infraestruturas pastorais – igreja, casa paroquial, salão paroquial, salas de catequese, casa mortuária – instalações necessárias às diversas atividades, assim como o facto de ter grupos de leigos [entenda-se, não clérigos] que colaboram e dinamizam as ações próprias de uma comunidade cristã autónoma”.

No início da celebração eucarística, presidida pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, o padre Agostinho Pinto, novo pároco de Altura, agradeceu a Deus “por tantas graças que foi concedendo à comunidade de Altura”, lembrando que esta teve início com a celebração de uma eucaristia em 1995. “Esta comunidade foi crescendo ao longo de 18 anos e tornou-se adulta”, afirmou, lembrando que “só há comunidade adulta quando todos os seus membros dão um pouco de si para fazer comunhão”.

O prior deixou, por isso, um apelo. “É muito importante que esta comunidade, lentamente, vá descobrindo a sua identidade no contexto da grande Igreja que é a Diocese do Algarve. Apelo à colaboração de todos no aperfeiçoar da comunidade cristã”, concretizou.

A eucaristia, que foi também concelebrada pelo padre Zeferino Policarpo, superior provincial da congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (dehonianos), pelo padre Manuel Chícharo, pároco de Castro Marim e pelo padre Carlos Silva, antigo pároco de Castro Marim, iniciou com a leitura dos decretos de constituição da paróquia e da Fábrica da Igreja Paroquial de Altura e da provisão de nomeação do novo pároco. Seguiu-se o descerramento de uma lápide para perpetuar aquele dia e a leitura do auto de constituição da paróquia, da Fábrica da Igreja Paroquial e da nomeação do novo pároco.

D. Manuel Quintas, que pediu ao padre Agostinho Pinto que lhe apresentasse os grupos de colaboradores da paróquia, lembrou a celebração da primeira eucaristia celebrada em Altura no dia 25 de dezembro de 1995, que coincidiu com a sua visita à comunidade dehoniana, então como Superior Provincial daquela congregação. “Não imaginava naquele dia que, 18 anos depois, estava aqui como bispo”, reconheceu.

O prelado exortou os paroquianos da nova paróquia a uma participação corresponsável, ao aprofundamento e anúncio da fé e lembrou os três pilares, constituintes da vida da Igreja. “Quando falamos de comunidade, falamos da palavra, da liturgia e também da dimensão da caridade. Neste dia, que começais a caminhar como paróquia, lembrai-vos bem: é preciso crescer, de modo equilibrado, nestes três elementos. Se falta um, ficamos coxos do ponto de vista da maturidade de uma comunidade cristã”, alertou.

À celebração, que contou ainda com uma bênção dos ministros extraordinários da comunhão e outros colaboradores da nova paróquia, seguiu-se a procissão, realizada no contexto das festas em honra do Imaculado Coração de Maria que se realizaram de dia 7 até hoje.

A freguesia de Altura, com 10.988 km2 e uma população de aproximadamente 2000 habitantes, é a segunda maior do concelho de Castro Marim e também a mais jovem, não só por ter sido criada em 1993 mas por ser a que concentra maior número de jovens.

A igreja de Altura, que incluiu a edificação do salão paroquial, das salas de catequese, da residência paroquial e duas casas mortuárias, começou a ser construída em 2002 e foi dedicada em 2005.

Samuel Mendonça

Pub