Breves
Inicio | Sociedade | Obras na EN125 adiam conclusão de instalação de esgotos em Loulé

Obras na EN125 adiam conclusão de instalação de esgotos em Loulé

ObrasO presidente da Câmara de Loulé responsabilizou ontem a Infraestruturas de Portugal (IP) pelo atraso na conclusão de uma obra de saneamento básico entre Boliqueime e Vale Judeu, devido à requalificação da EN 125, ainda em curso.

Em declarações à agência Lusa, Vítor Aleixo afirmou que desde 2008 que a autarquia tenta concluir uma obra de instalação de condutas paralelas de esgotos, ao longo de oito quilómetros, em ambos os lados da Estrada Nacional (EN) 125, entre Boliqueime e Vale Judeu, onde ainda existem “várias dezenas de moradias” sem acesso à rede de esgotos.

“A Infraestruturas de Portugal nunca nos deixou concluir o projeto por causa da necessidade de remodelar a EN 125”, observou o autarca, referindo que, por causa da demora requalificação da estrada, a conclusão da obra municipal, englobada num investimento total de 13 milhões de euros, sofreu um atraso de “vários anos”.

Vítor Aleixo acusa ainda a IP de não ter envolvido a autarquia na discussão do projeto de requalificação daquela estrada, que liga Sagres a Vila Real de Santo António, e queixa-se de que o projeto que está em execução não corresponde ao que foi entregue à autarquia em outubro passado.

“Continuamos a insistir que tinha de haver articulação entre a obra em curso e a necessidade de nós concluirmos a obra de saneamento básico”, sublinhou, sugerindo que as duas empreitadas poderiam ter sido coordenadas para serem realizadas em simultâneo.

Questionada pela Lusa, fonte da Infraestruturas de Portugal negou que tenha havido falta de diálogo com a Câmara de Loulé, referindo que “tem existido, desde o início da subconcessão Algarve Litoral, um envolvimento direto com as autarquias” e que o projeto foi apresentado àquela autarquia ainda em 2009.

“A Câmara Municipal de Loulé, desde 2010 tem sido consultada na análise de projetos da EN125, sendo a obtenção dos respetivos pareceres da responsabilidade da subconcessionária e não da IP”, indicou aquela empresa em resposta à Lusa.

Relativamente ao projeto de construção de redes de abastecimento de água e esgotos, a IP referiu que é uma obra “com impactos significativos na infraestrutura existente” e que aguarda, nas próximas semanas, o projeto de execução desta obra.

A IP estima que a Câmara de Loulé entregue o projeto para análise e parecer ainda durante o mês de fevereiro, que terá também de ser “objeto de parecer posterior” da Rotas do Algarve Litoral (RAL), subconcessionária que gere a requalificação da EN 125.

“Caso o projeto reúna as condições de ser aprovado, a respetiva execução deverá ser compatibilizada com a calendarização acordada para a Subconcessão Algarve Litoral”, conclui a IP.

A requalificação da EN125 foi anunciada em 2008 pelo Governo de José Sócrates e previa a construção de algumas variantes e de mais de 60 rotundas, mas problemas financeiros ditaram a interrupção das obras, retomadas apenas em 2015 e que estão a ser executadas entre Lagos e Olhão numa versão mais curta.

A IP estima concluir as obras em curso, entre Vila do Bispo e Olhão, até ao final do primeiro semestre de 2016.

Verifique também

5.500 motociclistas já entraram na 36.ª Concentração de Motos de Faro

Cerca de 5.500 motociclistas tinham entrado ontem até às 17:30 no recinto de Vale das …