Pub

Foto © Lusa

As obras de requalificação da Estrada Nacional 125 (EN125) tiveram de ser “reprogramadas” em alguns troços, onde os trabalhos vão ser suspensos durante o verão e concluídos depois de 31 de agosto, revelou hoje a concessionária.

Assim, o prazo para conclusão dos trabalhos entre Vila do Bispo e Olhão, na distância de 105 quilómetros, estabelecido para 30 de junho, e anunciado em maio pela Infraestruturas de Portugal (IP), não será cumprido.

“Em alguns troços em requalificação houve necessidade de reprogramar as intervenções, devido, nomeadamente, à multiplicidade de entidades envolvidas nos projetos – águas, saneamento básico, telecomunicações, etc., processos administrativos relacionados com expropriações e necessidade de tratamento de vestígios arqueológicos”, justificou o Grupo Rodoviário Rotas Regionais, ao qual pertence a Rotas do Algarve Litoral (RAL), concessionária que tem a seu cargo a requalificação da EN125.

A mesma fonte precisou que os trabalhos vão ser suspensos no período de maior afluência turística ao Algarve, em julho e agosto, e que as “obras serão concluídas após 31 de agosto” nas “rotundas da Mexilhoeira Grande, Figueira 2, Montes de Alvor, Hotel, Escola Internacional, Matosa/Torre e Pêra”.

“Nestes locais será feito um reforço da sinalização, assim como o isolamento das zonas de obra, de forma a assegurar a fluidez do tráfego e as condições de segurança dos automobilistas e peões”, assegurou.

A concessionária referiu ainda que “os condicionamentos de tráfego nas passagens rodoviárias sobre o caminho-de-ferro em Fontainhas e Maritenda serão levantados até ao final da primeira semana de julho”.

A informação hoje avançada pelo Grupo Rodoviário quantifica o montante global de investimento da requalificação do troço da EN125 entre Vila do Bispo e Olhão em cerca de 80 milhões de euros e adianta que “entre obras já concluídas encontra-se a requalificação integral do troço entre Vila do Bispo e Lagos, numa extensão de 20 quilómetros, e a construção das variantes de Lagos, de Faro e mais recentemente, do Troto”.

“Trata-se de um investimento de enorme importância para a mobilidade em toda a região do Algarve, assegurando condições de segurança para a circulação que já se refletem na redução da sinistralidade”, assegurou a mesma fonte.

A Lusa tentou questionar a IP sobre este “reprogramação” das obras em alguns troços, mas ainda não obteve resposta.

A 17 de maio, a IP disse que a primeira fase da requalificação da EN 125, em curso entre Vila do Bispo e Olhão, no Algarve, iria estar concluída até ao final de junho. Os trabalhos da primeira fase em curso debruçavam-se sobre o troço entre Lagos e o nó com o IC4, onde estavam a ser concluídas 30 rotundas ao longo de cerca de 70 quilómetros.

A Infraestruturas de Portugal indicou então que, dessas 30 rotundas, já estavam concluídas e em funcionamento as de Porches, de acesso à A22, e junto ao parque temático Zoomarine, enquanto nas zonas de Alcantarilha, Patã, Boliqueime e Fonte de Boliqueime decorriam trabalhos de reforço e melhoria do pavimento e intervenções de beneficiação nas zonas de atravessamento urbano.

A segunda fase de requalificação da EN125, entre Olhão e Vila Real de Santo António, só avançará após a entrada em vigor do contrato renegociado entre a IP e a RAL., o que deverá acontecer até final do ano, segundo disse a 05 de junho o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.

Pub