Inicio | Economia | Ocupação média por quarto no Algarve sobe para 40% em dezembro

Ocupação média por quarto no Algarve sobe para 40% em dezembro

A taxa de ocupação média por quarto nas unidades de alojamento algarvias situou-se nos 39,9% em dezembro passado, valor que representou uma subida homóloga de 2,3 pontos percentuais, revelou hoje a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA).

Nos dados mensais sobre a ocupação média por quarto no Algarve compilados pelo seu gabinete de estudos e divulgados hoje, a AHETA refere que o mercado português subiu 3,2 pontos percentuais e foi o que “mais contribuiu” para a média registada em dezembro de 2017, período no qual o volume de negócios aumentou 12,3%, comparativamente com o mesmo período de 2016.

“Em termos acumulados, desde o início do ano, a taxa de ocupação quarto regista uma subida de 2,0% e o volume de negócios um crescimento acumulado de 10,0%”, quantificou a associação algarvia, referindo-se aos números de 2017.

Ainda sobre os dados de dezembro, “a maior descida” na ocupação média por quarto, com menos 3,6 pontos percentuais, foi observada no mercado britânico, apontou a associação empresarial, que realçou também “as subidas registadas nos mercados espanhol, alemão e holandês”, mas sem as quantificar.

O gabinete de estudos da AHETA quantificou sim as principais subidas por zonas geográficas, localizando-as em Tavira (+8,4 pontos percentuais) e Vilamoura/Quarteira/Quinta do Lago (+6,7) e Albufeira (+4,0). As “principais descidas” foram verificadas nas zonas de Monte Gordo/Vila Real de Santo António (-10,5 pontos percentuais) e Faro/Olhão (-8,0).

As unidades de alojamento que mais subiram em dezembro foram, por categorias, os aldeamentos e apartamentos turísticos de três estrelas (+7,7 pontos percentuais) e os hotéis de cinco estrelas (+7,2), enumerou ainda a associação hoteleira com sede em Albufeira, concelho do distrito de Faro.

A AHETA considerou que a subida na ocupação média por quarto registada em dezembro “resultou, sobretudo, do aumento da procura por parte dos nacionais e do facto de a passagem de ano ter coincidido com um fim de semana alargado”.

Verifique também

Empresa investe 60 milhões de euros para recuperar projeto imobiliário parado em Armação de Pêra

Uma empresa portuguesa vai investir 60 milhões de euros na recuperação de um projeto imobiliário …