Pub

A ocupação média por quarto nas unidades de alojamento do Algarve foi, em janeiro, de 7,6%, valor que representa uma quebra de 78,9% comparativamente ao período homólogo do ano anterior, segundo a principal associação hoteleira da região.

A Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) divulgou os dados provisórios das variações verificados nas unidades de alojamento da região no primeiro mês de 2021 e destacou que o volume de vendas também está 83,5% abaixo do que tinha sido alcançado no ano anterior.

“A taxa de ocupação global média por quarto foi 7,6%, 78,9% abaixo do valor registado em 2020”, quantificou a associação empresarial num comunicado, situando acima de 90% as quebras na ocupação dos principais mercados emissores de turistas para o Algarve, como a Holanda e o Reino Unido.

A AHETA precisou que foi o mercado holandês o que mais desceu, com menos 91,7%, tendência que também foi sentida nos mercados britânico (-91,0%) e alemão (-85,4%).

O mercado nacional teve uma quebra menos acentuada, tendo-se situado nos 51,1%”, segundo os dados provisórios de janeiro compilados pelo gabinete de estudos da associação empresarial.

“O volume de vendas apresentou uma descida face ao mesmo mês do ano anterior de menos 83,5%”, realçou a AHETA, frisando que nos “valores acumulados dos últimos 12 meses” foi registada “uma descida média de menos 60,5%”.

Já o volume de vendas acabou por ser também afetado ao longo do último ano, com “uma descida de menos 61,6%”, referiu ainda a associação.

Pub