Pub

Teresa Monteiro da Costa

O pároco da Mexilhoeira Grande, padre Domingos Monteiro da Costa, escreveu um livro sobre familiares diretos onde é apresentada a biografia da sua irmã mais nova, falecida em 1967 com fama de santidade na terra natal de ambos.

E foi precisamente na igreja paroquial de São Bartolomeu do Rego, em Celorico de Basto, onde foram batizados, que teve lugar o lançamento da obra, intitulada “Os Santos de Nossa Casa”, no dia 5 do mês passado por ocasião do 54.º aniversário da morte de Teresa Monteiro da Costa ocorrida, aos 21 anos de idade, no hospital de São João do Porto devido à doença de Hodgkin.

Igreja Paroquial de São Bartolomeu do Rego – Foto © Humberto Martins

À apresentação feita por Maria Teresa Rochate da Silva, seguiu-se o testemunho de Cristina Castro, sobrinha do padre Domingos da Costa, uma visita à sepultura da falecida e a divulgação da publicação no Centro Paroquial local.

P. Domingos M. da Costa, na eucaristia de apresentação do Livro – Foto © Humberto Martins

O livro, que também já foi apresentado na paróquia da Mexilhoeira Grande, baseia-se em testemunhos que o sacerdote jesuíta recolheu após a morte da irmã, tanto de colegas do Colégio do Sagrado Coração de Maria, como da Escola do Magistério Primário, em Braga, onde se formou como professora, e também de religiosas.

Grupo da Mexilhoeira Grande, junto da Pia Batismal da igreja de S Bartolomeu do Rego – Foto © Humberto Martins
Breve oração junto ao túmulo da Teresa, irmã mais nova do Padre Domingos – Foto © Humberto Martins

“Graças à fama de santa com que a Teresa viveu e morreu, decidi, após a sua morte, recolher testemunhos, sobre ela, com a intenção de escrever uma pequena biografia, desejada, por muita gente, que a conheceu e a acompanhou, durante a sua doença. Por falta de tempo, nunca consegui realizar esse sonho. Os confinamentos da Covid permitiram-me cumpri-lo, passados 54 anos”, refere o padre Domingos da Costa, explicando ter tido então tempo para ler todo o material recolhido, incluindo as cartas enviadas pela falecida à família a contar o evoluir da doença.

Padre Domingos Monteiro da Costa – Foto © Humberto Martins

A primeira parte do livro refere-se a outros familiares, concretamente às suas avós, pais e à irmã mais velha, Rosinda Monteiro da Costa, religiosa da Congregação das Irmãs Concecionistas ao Serviço dos Pobres em Elvas, falecida repentinamente em 1982 com 39 anos.

O sacerdote explica ainda que “a exortação do Papa [‘Gaudete et Exultate’] sobre a Santidade e a sua devoção aos «Santos de ao pé da porta» foram um estímulo” para escrever o livro e para o título escolhido.

O autor escreveu mesmo ao Papa, ofertando-lhe um exemplar e Francisco respondeu precisamente no dia 5 de junho, assinalando a data como a de “aniversário da partida da Teresa para o Céu”. A resposta chegou através do assessor para os assuntos gerais da Secretaria de Estado do Vaticano, garantindo que o Papa se alegra “pelo dom da fé, vivida na comunhão da Igreja Católica”, pelos familiares do padre Domingos da Costa, aos quais concedeu uma bênção apostólica.

Foto © Humberto Martins

Na apresentação da publicação na freguesia do Rego esteve um grupo de seis pessoas em representação da paróquia da Mexilhoeira Grande. No domingo, 6 de junho, o grupo visitou ainda o santuário da Senhora do Viso, onde o padre Domingos da Costa presidiu à celebração da eucaristia. “Não podia fazer a apresentação do livro na minha terra, sem irmos ao Viso, onde brincámos aos Pastorinhos de Fátima: a Teresa, a Rosinda e eu”, contou o sacerdote. O grupo visitou ainda a casa onde viveu a família Monteiro da Costa, em Alijó.

Saída do Algarve no dia 4 de junho em direção a Celorico de Basto, a comitiva passou pelo Santuário de Fátima, tendo visitado as sepulturas dos Pastorinhos e distribuído o livro às irmãs da Aliança de Santa Maria, Reparadoras Missionárias da Santa Face e Concecionistas ao Serviço dos Pobres, a que pertenceu a irmã mais velha do padre Domingos da Costa. No regresso ao Algarve, dia 7 de junho, passaram novamente em Fátima, onde visitaram a “Casa das Candeias” (museu dos Pastorinhos Jacinta e Francisco).

O livro – oferecido também ao arcebispo de Braga D. Jorge Ortiga, que se regozijou com a sua publicação – está disponível para aquisição nas paróquias da Mexilhoeira Grande e de São Bartolomeu do Rego e no Apostolado da Oração em Braga, podendo também ser enviado pelo correio, mediante encomenda.

Pub