Pub

O padre Frederico Cardoso de Lemos, da comunidade algarvia da Companhia de Jesus (jesuíta), irá em novembro deste ano para o México, durante seis meses, realizar a última etapa da sua formação.

A formação jesuíta de padres e irmãos inclui depois da ordenação as etapas de ‘Magistério’ e de ‘Terceira Provação’, que dura entre seis e oito meses. O instituto religioso explica que é “quase um segundo noviciado”, um “regresso à «escola dos afetos»” depois de tantos anos de formação intelectual”. “O jesuíta volta a fazer os Exercícios de mês e algumas das experiências do Noviciado, estuda de novo a vida de Inácio [de Loiola] e as Constituições da Companhia, e sobretudo tem um tempo longo para olhar e rezar o caminho feito, riquezas e fragilidades, aprofundando assim os grandes pilares e desafios da sua vida dedicada a Deus e aos outros”.

Trata-se, portanto, de um tempo de vivência mais intensa da espiritualidade da ordem e do seu estilo de vida. Esta espécie de noviciado na maturidade da vida religiosa é acompanhada por um instrutor. “Uma vez concluída a ‘Terceira Provação’, o jesuíta regressa ao trabalho ativo, aguardando que lhe sejam concedidos os «Últimos Votos». Estes representam a incorporação definitiva e solene na Companhia de Jesus, e incluem o quarto voto de «disponibilidade especial» ao Papa”, explica a Companhia.

O padre Frederico de Lemos, que para além de pároco na paróquia de Nossa Senhora do Amparo, em Portimão, é também coordenador do Apostolado Social dos Jesuítas, viverá na Casa de Exercícios Espirituais Puente Grande, a poucos quilómetros da cidade de Guadalajara, esta etapa que irá de início de novembro 2020 ao final de abril de 2021.

Ao Folha do Domingo, o sacerdote explicou que a etapa, para além do tempo de oração e estudo, inclui ainda uma experiência apostólica de caráter mais vivencial numa realidade concreta diferente. O padre jesuíta disse esperar que seja um “tempo para saborear e aprofundar”. “Espero olhar para a minha vida como jesuíta e refundá-la”, concretizou.

O padre Frederico de Lemos, de 46 anos, foi ordenado em 2014 e veio para o Algarve no verão do ano seguinte. Faz parte da comunidade jesuíta algarvia de Nossa Senhora da Estrada, juntamente com os padres Nuno Tovar de Lemos, Francisco Ferreira de Campos e Domingos Monteiro da Costa.

Pub