Pub

O padre Mário de Sousa considera que o itinerário ‘Rise UP’, de preparação para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Lisboa, em 2023, reproduzirá um “grito de Jesus a cada jovem” “como um desafio pessoal de caminho”.

“Acorda! Levanta-te! Retoma a vida e vive-a como um dom para ti e para os outros!”, concretizou o sacerdote da Diocese do Algarve no vídeo de enquadramento das catequeses da JMJ, realizado para a sessão de apresentação, formação e esclarecimentos para animadores de grupos de jovens realizada no passado dia 5 deste mês.

O padre Mário de Sousa é um dos responsáveis pela revisão teológica do itinerário, juntamente com o bispo auxiliar da Diocese do Porto, D. Vitorino Soares e com o cónego Luís Miguel Rodrigues, da arquidiocese de Braga. O sacerdote da diocese algarvia é ainda o autor da apresentação de São Lucas, o evangelista cujos escritos percorre o itinerário catequético, seguindo os temas propostos pelo Papa Francisco.

“São Lucas apresenta-nos a fé, a nossa relação com Jesus, como um caminho. Ora é impossível fazer caminho permanecendo sentados e instalados. Por isso, é também significativo que o verbo que traduzimos do grego por ‘levantar-se’ signifique em primeiro lugar despertar, acordar. O contrário de estar acordado e levantado é estar adormecido e jazente, instalados e sem ação, deixando que seja a vida a arrastar-nos em vez de sermos nós a agarrar a vida. E daí o grito de Jesus”, adverte o biblista.

Partindo da passagem bíblica escrita pelo evangelista, proposta pelo Papa para tema da JMJ – ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’ (Lc 1, 39) –, o padre Mário de Sousa realça que “depois de ter acolhido o anjo e de ter aceite o projeto de Deus para a sua vida, a sua vocação, Maria não fica sentada em casa à espera que a gravidez siga o seu curso e que a natureza e Deus façam o seu trabalho”. “Pelo contrário, diz-nos São Lucas, Maria levantou-se e partiu apressadamente”, observa, realçando que, ao partir, “leva consigo Jesus”.

O sacerdote considera a atitude de Maria “inspiradora e desafiante para todos os que querem, de facto, ser amigos e discípulos de Jesus”. “O Papa Francisco, ao apresentar-nos a frase com que o episódio da anunciação do anjo a Nossa Senhora termina, apresenta-nos não apenas o lema da Jornada Mundial da Juventude, mas como coloca diante de nós a atitude de Nossa Senhora como um desafio, de modo particular, a cada jovem”, prossegue.

O padre Mário de Sousa lembra que “Nossa Senhora não se limita a acolher a palavra e o chamamento de Deus”, mas “toma a decisão que o seu ‘sim’ implica: levantar-se da sua vida até então e partir para uma nova etapa da sua vida, marcada pela presença de Jesus no mais profundo do seu ser”. O sacerdote acrescenta assim que “não basta dizer ‘sim’”, mas “é necessário tomar as decisões que esse ‘sim’ implica”.

“Por muito que Deus queira e por muito boa vontade que tenhamos, se não nos levantarmos, ou seja, se não tomarmos uma decisão, nada acontecerá. Por isso, a palavra inspiradora e desafiante que nos conduzirá no caminho até à JMJ é o verbo levantar-se. Ao longo destes anos seremos convidados a escutar, a saborear e a deixarmo-nos incomodar por vários textos desta obra de São Lucas em que este verbo ocorre, catequeses onde escutaremos com insistência o Senhor a dizer-nos: «levanta-te!»”, desenvolve.

O sacerdote refere que “ressuscitar é ser levantado”. “É ser resgatado por Deus do poder da morte e das trevas para entrar na dimensão de vida e da luz. Foi para isso que Jesus veio e é isso que Ele realiza na vida de cada jovem que o recebe verdadeiramente como amigo”, conclui.

As catequeses do itinerário ‘Rise UP’ e os guiões para animadores estão disponíveis no sítio online oficial da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023.

Pub