Pub

Igreja_s_pedro_faroO pároco da paróquia de São Pedro de Faro quer que, no triângulo entre a igreja de Santo António dos Capuchos, a igreja de São Pedro e a Cidade Velha, seja criado um percurso para peões com a requalificação de ruas e largos que poderá incluir algum condicionamento do trânsito.

O cónego Carlos César Chantre pediu no dia 5 do mês passado ao presidente da Câmara Municipal que seja “reativado” um “corredor”, que poderá também incluir a igreja do Carmo, que priorize a circulação dos transeuntes. “Espero que a Câmara Municipal, mesmo dentro das dificuldades, reveja urgentemente o largo dos Capuchos. Aquela igreja pede urgentemente que se faça qualquer coisa naquele largo”, pediu a Rogério Bacalhau e aos demais autarcas da edilidade farense presentes na cerimónia de assinatura do acordo de financiamento para obras de remodelação da iluminação da igreja de São Pedro de Faro.

No âmbito do projeto que defende, o sacerdote considerou ainda que o largo de São Pedro “precisa de ser revisitado urgentemente, tanto na retaguarda como na frontaria da igreja”, um monumento que disse quase estar “arquitetonicamente escondido”. “Vejam a diferença entre a igreja dos Capuchos que marca e que «dá catequese» aos transeuntes e esta arquitetura que parece escondida. Mesmo assim escondida, se o largo for reabilitado, então as pessoas poderão reocupar aquilo que já lhes pertenceu antes”, acrescentou, apontando para a necessidade de podar ou cortar as árvores em volta do edifício.

“Temos conversado e tenho encontrado da parte do presidente da Câmara a melhor reação melhor para o acolhimento disto. Foi-me prometido que o assunto está a ser estudado com muita atenção e que estes largos vão ser remodelados. Estou convencido de que todos os vereadores vão dar as mãos para, pelo menos, revisitar esta zona. Portanto este projeto pode ter consequências pedagógicas em todo o restante património da cidade”, concluiu o cónego César Chantre.

Pub