Pub

Nesse sentido, aquela comunidade paroquial vai procurar abordar o tema através de catequeses com crianças, adolescentes e jovens e de encontros com adultos nos grupos de oração, bíblicos e de casais.

Cinco conferências apresentadas por membros da paróquia, que poderão ser também assistidas por pessoas de outras comunidades paroquiais, farão parte integrante e fundamental deste projeto que tem como objetivo “dar a conhecer os documentos conciliares e a sua importância na Igreja de hoje”.

Assim, já no próximo dia 20 deste mês, decorrerá pelas 21h, em local ainda a definir, a primeira conferência que abordará a carta apostólica do Papa Bento XVI, “Porta da Fé” (Porta Fidei), através da qual proclamou, em outubro do ano passado, o Ano da Fé que se cumpre até novembro de 2013.

No dia 23 de novembro terá lugar, pelas 21h no Centro Juvenil de Alcalar, a segunda palestra sobre a “História dos Concílios e o Concílio Vaticano II”. As restantes três dissertações terão lugar sempre no Centro Pastoral Paul Roth, pelas 21h. No dia 26 de janeiro o tema será “Concílio Vaticano II: Ecumenismo”, no dia 2 de março “Os leigos à luz do Concílio Vaticano II” e no dia 20 de abril “Constituição sobre a Sagrada Liturgia – Sacrosanctum Concilium”.

Os interessados em participar deverão formalizar a inscrição através do e-mail paroquia.mex.grande@gmail.com ou do telefone 282 968 258.

Recorde-se que o Programa Pastoral deste ano da Igreja algarvia considera o Ano da Fé “uma ocasião privilegiada para promover o conhecimento e a difusão dos conteúdos do Concílio Vaticano II e do Catecismo da Igreja Católica (CIC)” e propõe que as paróquias possam “continuar a privilegiar a dimensão espiritual nas propostas formativas, a partir Lectio Divina e dos documentos da Igreja (Concílio, CIC)”.

O Concílio Vaticano II contou com a presença de bispos vindos dos cinco continentes, peritos, ouvintes e convidados de outras confissões cristãs.

Os trabalhos começaram sob a presidência do Papa João XXIII e a partir de 1963 foram orientados pelo seu sucessor, Paulo VI, privilegiando a renovação da Igreja Católica.

Samuel Mendonça
Pub