Pub

Os presépios constituintes da mostra, que pode ser visitada até ao dia 9 de Janeiro de 2011, domingo em que se celebra a Festa do Baptismo do Senhor, foram realizados pelas crianças e adolescentes dos 16 grupos da catequese paroquial no âmbito do Programa Pastoral daquela comunidade, intitulado “Paróquia – comunidade em missão”.

Os presépios foram construídos com recurso a materiais diversos, desde os reciclados até aos mais naturais como a madeira, a cortiça, pinhas ou frutos secos, passando por vários tipos de papel, pasta de moldar, feltro, algodão, lã e até massas comestíveis. Alguns são mesmo fortemente simbólicos, contendo significativas mensagens implícitas, como o realizado pelos adolescentes do 10º ano.

Para além destes 16, estão ainda patentes mais dois presépios. Um deles é propriedade do pároco da Sé de Faro, o cónego José Pedro Martins, composto por muitas figuras e personagens que recriam a representação de vários quadros da infância de Jesus, que começam mesmo antes do seu nascimento e que vão desde a anunciação do anjo a Maria, sua Mãe, até ao regresso da Sagrada Família a Nazaré, após a fuga para o Egipto.

Pelo meio ficam as cenas do sonho de José, os esponsais de José e Maria, a visitação, a caminhada para Belém, o nascimento de Jesus em Belém, o anúncio do nascimento feito aos pastores, a reacção negativa de Herodes que manda matar as crianças inocentes e a fuga para o Egipto de Jesus com os seus pais.

Estes quadros são contextualizados com cenas da vida de então. Personagens, ofícios e artes são fielmente retratados com recurso à mecanização de muitas das figuras que fazem pequenos movimentos.

O outro presépio que não foi feito pelos catequizandos é uma recriação do presépio típico algarvio com o Menino no trono, onde não faltam as searas e as frutas.

O pároco da Sé explica que esta é mais uma iniciativa realizada com vista à concretização do objectivo para o presente ano pastoral revelado no lema que intitula o Programa Pastoral paroquial. “Esta exposição toca mais as crianças, para que possam celebrar o Natal no sentido que ele tem, mas é também dirigida a outras pessoas. É um espaço de encontro”, salienta o cónego José Pedro Martins.

Com entrada livre, a exposição tem horário de segunda a sexta-feira, das 16.30h às 18.30h.

Samuel Mendonça

Pub