Pub

As quotas mensais pretendem complementar as receitas angariadas com a venda de bolos no terceiro fim de semana de cada mês. Confecionados e oferecidos por paroquianos, os doces são depois vendidos na comunidade pelos elementos da equipa paroquial da pastoral sóciocaritativa.

O padre Pedro Manuel, um dos párocos da Sé, adianta à FOLHA DO DOMINGO que a ideia surgiu, no contexto da última visita pastoral do bispo do Algarve à cidade de Faro, no âmbito de uma partilha com a vizinha paróquia de São Pedro que já há alguns anos tem um sistema semelhante a funcionar. “Foi uma maneira que encontrámos para sensibilizar para esta necessidade e as pessoas estão sensíveis a isto”, complementa o sacerdote.

O pároco sublinha que a quadra natalícia e o final do ano trouxeram com eles um aumento significativo do número de pedidos de ajuda. “Do Natal para cá apareceram vários pedidos de ajuda”, testemunha, acrescentando que a maioria dos beneficiários são desempregados e membros de famílias desestruturadas.

O sacerdote explica que, para além do “grupo grande” de beneficiários ajudados concretamente pela comunidade das irmãs Missionárias da Caridade, a paróquia apoiava antes cerca de 45 pessoas mensalmente e agora passou a ajudar cerca de 60/70 necessitados.

Por outro lado, a comunidade começou também a dar apoio psicológico através de uma psicóloga voluntária.

Quem se quiser associar à iniciativa poderá dirigir-se ao cartório paroquial e preencher uma pequena ficha para passar a colaborar.

Samuel Mendonça
Pub